30/04/2016 às 21h49min - Atualizada em 30/04/2016 às 21h49min

O defunto de João Barros...

Por Janio Rocha Modesto

Portal Corrente

Antes, vou me permitir chamá-lo apenas de João Barros, dispensando as formalidades de estilo, sem perder de vista o merecido título.
 
Quando Prefeito de Corrente, João Barros sempre teve o cuidado de competentemente administrar a coisa pública de forma transparante, legítima, impessoal, moral e eficiente, sem jamais esquecer da função social que vincula a administração pública.
 
Em cidade de interior é comum as pessoas mais carentes buscarem auxílio da prefeitura para situações emergentes, principalmente aquelas que reclamam medidas urgentes, que envolvem vidas.
 
No Corrente, infelizmente, temos assistido com frequência crimes de extorsão, praticados por bandidos, geralmente sentenciados com penas de reclusão e que, utilizando-se de aparelhos celulares, extorquem as pessoas com o objetivo de obter vantagens financeiras,  mediante ameaças e intimidações.  Eu já fui vítima...
 
Belo dia, João Barros enquanto Prefeito, recebe uma ligação, sem identificação, em que o interlocutor se dizia parente de uma paciente que encontrava-se internada no Hospital de Base, aqui em Brasilia, que havia acabado de falecer e que o corpo seria transladado para Corrente, para sepultamento junto à família.
 
Ele,  consternado e imbuído do espírito humanitário, colhe os dados bancários do meliante, dirige-se até à agência bancária do Banco do Brasil e efetua o depósito exigido, aproximadamente R$ 800,00 (oitocentos reais);
 
Chegando em casa, ele se apercebeu que o modo de ação era indicativa de possível golpe e que ele acabara de cair numa armadilha. 
 
Passado algumas horas, o vagabundo volta a ligar, alegando que estava parado no Posto da Polícia Rodoviária Federal - PRF de Alvorada do Norte-GO, dizendo que a Polícia haviam impedido de viajar porque os pneus do carro estavam em imperfeitas condições(carecas), e só liberaria após a troca por pneus novos...
 
O cabra volta a ligar novamente para João Barros, pedindo mais dinheiro para a troca dos pneus...João Barros,  já consciente que havia caído numa cilada, lhe pergunta:
 
- Rapaz, daquele dinheiro que ti mandei ainda tem alguma coisa?
 
O cabra responde:
-  Ainda tem um " tiquim, Dotô"..
 
João, já puto da vida, recomenda...
 
- Então você compra bastante sal, salga e espicha a difunta e bota no sol, porque senão vai apodrecer antes de chegar aqui....

Link
Relacionadas »
Comentários »