16/01/2017 às 13h49min - Atualizada em 16/01/2017 às 13h49min

Laécio Barros Dias fala das suas realizações frente ao IFPI e apresenta propostas para o próximo mandato

Portal Corrente
Viviane Setragni

O professor Mestre Laécio Barros Dias, atual diretor do Instituto Federal do Piauí, Campus Corrente, é candidato nas Eleições que definirão os novos reitor e diretores gerais dos 11 campi que participam do processo. Laécio assumiu o cargo de diretor pela primeira vez no ano de 2013, quando foi nomeado, e participou das eleições realizadas pela reitoria no ano de 2014, sendo eleito. Em entrevista ao Portal Corrente, o professor elencou as principais realizações dos últimos 4 anos, em sua maioria concretizadas graças ao modelo de gestão participativa adotada no campus.

 

REESTRUTURAÇÃO NA PARTE DE ENSINO

COORDENAÇÕES -  Inicialmente, as coordenações eram vinculadas a eixos/áreas. Ex: O professor de história que ministrava aula no Curso Técnico em Agronegócio era vinculado à coordenação de recursos naturais. Foi efetivado que cada curso teria uma coordenação específica para as disciplinas técnicas e uma Coordenação de Exatas, Humanas e Letras. A Coordenação Geral de Apoio ao Ensino articula as diversas coordenações que dão suporte ao ensino  (biblioteca, controle acadêmico, disciplina).

EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO - Atualmente o campus possui duas pós-graduações presenciais em andamento, mais uma à distância (EAD) já concluída;

ENSINO MÉDIO INTEGRADO - O campus de Corrente foi o primeiro a ofertar o ensino médio integrado com a duração de 3 anos. O antigo modelo, com a duração de 4 anos, registrava um alto índice de evasão. Hoje diversos campus do estado também adotaram a medida.

AMPLIAÇÃO EXPRESSIVA NO NÚMERO DE SERVIDORES - A partir da política federal de gerenciamento e expansão dos campi, aliada à articulação do campus, foi possível ampliar o número de docentes de 33 para 55 e de técnicos administrativos de 23 para 35 servidores.

DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO:

  • Gestão dialogada entre os diversos setores;
  • Mural da transparência, com a publicação de todas as receitas e despesas, inclusive de todas as diárias repassadas aos servidores e estudantes participantes de congressos, seminários e eventos fora do campus;
  • Criação da ouvidoria.

REFORMULAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL (PDI), em 2015, com vigência para os anos de 2016 à 2019. O plano prevê, entre outras medidas, a oferta dos cursos superiores de Física, Informática e Ensino Médio Integrado ao Técnico em Agropecuária.

IMPLEMENTAÇÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL (POLAE) – É vista pelo diretor como uma das mais importantes implementações, de iniciativa da Pró-reitoria de Extensão. A Comissão de Assistência Estudantil, vinculada à Coordenação de Extensão, tem por fim auxiliar na execução da POLAE

 

MELHORIAS ESTRUTURAIS

  • CONSTRUÇÃO DO GINÁSIO DE ESPORTES - O Ginásio é dotado de vestiário completamente mobiliado, placar eletrônico, cestas de basquete articuladas e fardamento para diversas modalidades de esporte.
  • SUBSTITUIÇÃO DO TELHADO de todo o campus por cobertura de cerâmica termo-acústica
  • SISTEMA DE DRENAGEM
  • INÍCIO DA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO BLOCO DE SALAS, dotado de 6 salas de aula, que possibilitarão a oferta de mais 2 cursos superiores e 1 ensino médio integrado;
  • ARBORIZAÇÃO – a primeira etapa consistiu na substituição de pedra brita por grama, que diminuiu significativamente a temperatura das áreas de convivência. A meta é a execução de um projeto de jardinagem e posterior expansão para todo o campus.
  • CONSTRUÇÃO DAS SALAS DE ESTUDO EM GRUPO NA BIBLIOTECA
  • INSTALAÇÃO DOS LABORATÓRIOS DE EAD, com equipamentos adequados para a realização de videoconferências.
  • CONSTRUÇÃO DE UMA SALA DE ESTUDOS PARA PROFESSORES;
  • CONSTRUÇÃO DE DIVISÓRIAS NAS SALAS DE COORDENAÇÕES;
  • ESTRUTURAÇÃO DOS LABORATÓRIOS – Os laboratórios de Biologia, Química, Geoprocessamento e Física receberam um alto investimento para a aquisição de equipamentos de última geração;
  • AUMENTO EM 10 VEZES A OFERTA DE INTERNET NO CAMPUS;
  • APARELHAMENTO E FUNCIONAMENTO DO CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO;
  • CLIMATIZAÇÃO DO REFEITÓRIO;
  • PRIMEIRA ETAPA DA INSTALAÇÃO DE ACESSIBILIDADE EM TODO O CAMPUS;
  • AQUISIÇAO DE ÔNIBUS RODOVIÁRIO, com capacidade para 44 lugares;
  • OFERTA DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO para os estudantes do campus;
  • GRATUIDADE DE TODOS OS SERVIÇOS ESTUDANTIS;
  • AMPLIAÇÃO DO ACERVO BIBLIOGRÁFICO, de 1.900 exemplares em 2013 para 7.000 atualmente;

Dentre os aspectos que merecem maior atenção, o professor destaca alguns ítens: “Nós tivemos certa dificuldade no programa de acolhimento aos estudantes, principalmente nos primeiros anos, tanto no ensino médio quanto nas licenciaturas, embora grandes esforços tenham sido empreendidos para mudar esse aspecto. Alunos que não dominam regras básicas de escrita ainda são realidade e precisamos aperfeiçoar a entrada desses estudantes no campus”.

A política de remoção, embora tenha sido aperfeiçoada, ainda representa um problema para a gestão, pois estão garantidas por lei. “Conseguimos instituir uma política condizente com uma instituição federal - hoje os servidores precisam concorrer aos editais para solicitar remoção. Ainda assim somos prejudicados, pois contratamos o servidor, investimos na sua formação para melhorar a titulação do campus de forma geral e assim que surge um edital esse servidor solicita a remoção, respaldado pela lei. É uma realidade com a qual temos que lidar”, coloca.

Quanto às metas, Laécio apresenta várias. “O maior desafio, daqui para frente, será manter a estrutura que conseguimos adquirir e instalar. Os equipamentos têm vida útil limitada e a sua manutenção exige planejamento, para que seja viável e permanente. Quanto às melhorias, gostaríamos de construir um novo auditório, dando espaço para a expansão da biblioteca, que já está no seu limite máximo; necessitamos construir uma garagem para abrigar os nossos veículos; dar continuidade ao plano de arborização do campus; a construção de um novo bloco de laboratórios– de imediato precisamos de um laboratório de solos e um de matemática; a oferta de uma linha de ônibus noturna, que atenda à demanda após às 22h e finalmente a ampliação do refeitório, com a oferta de janta”, esclarece o candidato.

Laécio Barros Dias é candidato único no campus, a exemplo de outros 5 campi. “Atribuo isso a diversos aspectos: em primeiro lugar, há uma série de requisitos básicos bara ser candidato, como possuir 5 anos de casa, ter experiência comprovada em algumas áreas, entre outros, portanto não é qualquer servidor que consegue reunir todos esses pré-requisitos. Além disso, considero que a política democrática implantada no campus de Corrente também contribuíram para que não houvesse a inscrição de outro candidato, além do fato de que não é fácil colocar-se nessa posição. Por sermos uma instituição federal, somos periodicamente auditados pelos órgãos fiscalizadores, como a CGU, portanto a dedicação é total”, coloca.

Mesmo sendo o único candidato, Laécio cumpre uma agenda intensiva de campanha. “Essa agenda se deve ao fato de possibilitar a construção coletiva de um Plano de Ação, além da legitimidade do pleito, pois participando todos tê, além da legitimidade do vínculo institucional, a legitimidade do voto”, acrescenta. O professor apoia o candidato a reitor Paulo Henrique, pois considera que as propostas do mesmo estão alinhadas com a sua.

As eleições serão realizadas no dia 26 de janeiro em todo o estado. Estão aptos a votarem os alunos, professores e técnicos-administrativos.


Primeira etapa da arborização interna


Instalação de cabines de estudo em grupo na biblioteca


Construção do Ginásio Polesportivo


Instalação de divisórias nas salas de coordenações


Oferta de transporte coletivo urbano a todos os estudantes do campus

 

Link
Tags »
Laecio Barros Dias Corrente IFPI eleições
Notícias Relacionadas »
Comentários »