03/03/2017 às 13h29min - Atualizada em 03/03/2017 às 13h29min

IML não libera os corpos da família que morreu carbonizada no acidente da BR 135

Familiares terão que ir à Teresina para coleta de material para o exame de DNA

Portal Corrente

Foto: Meio Norte

O Instituto Médico Legal de Teresina não liberou os corpos da família que morreu carbonizada em um acidente na BR 135 no último sábado. Os familiares, que tinham esperanças de que os corpos fossem liberados nessa sexta-feira (3) para finalmente realizar o sepultamento, foram pegos de surpresa com mais essa desagradável notícia. “Estamos exaustos, só queremos sepultar os corpos e por um fim à essa situação”, afirma a irmã de uma das vítimas, Erica Paeslandin, que esteve pessoalmente no IML.

Para que os exames sejam feitos, Erica foi informada de que os seus pais e os pais do seu cunhado, também morto no acidente, terão de ir pessoalmente à capital, distante quase 900km de Corrente, para a coleta do material que será utilizado no reconhecimento do DNA dos corpos.

Quanto à previsão para a liberação dos corpos, ela afirma que não há previsão, pois os exames terão de ser encaminhados para outro estado para serem realizados. “Nós temos esperanças de que na próxima semana isso aconteça, mas não há nada certo”, declarou.

Os exames de DNA não são feitos há um ano no estado por falta de pagamento para a empresa que fornecia os kits de coleta. Além disso, o Piaui não conta com laboratório próprio e por isso depende de institutos de outros estados. Além dos corpos da família, outros 11 exames estão sem identificação e por este motivo não podem ser liberados.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »