31/10/2013 às 16h43min - Atualizada em 31/10/2013 às 16h43min

Candidato a Vice Reitor da UESPI Joseli Magalhães fala de suas propostas

Chapa 4 apresenta-se como oposição a atual administração da universidade

Portal Corrente

As eleições para reitor e vice reitor da Universidade Estadual do Piauí serão realizadas no dia 13 de novembro, em todos os Campus do Estado, quando professores, técnicos administrativos e alunos irão às urnas votar em seus candidatos. Na atual eleição, quatro chapas participam do pleito. Nesta terça-feira (29),  o candidato a vice reitor na chapa 4 – UESPI de Todos, Joseli Magalhães, professor da UESPI desde 2005, advogado e doutor em Direito, esteve em Corrente apresentando suas propostas aos alunos. Em entrevista ao Portal Corrente, Joseli falou de suas propostas e quais são as principais críticas à atual gestão.

De acordo com o candidato, até hoje a UESPI não acertou na escolha democrática dos seus reitores. “Não sabemos se é má administração no relacionamento com o governador do estado ou se foi algo relacionado com a própria incompetência dos gestores, mas não houve ainda um acerto por parte dos alunos com relação aos gestores superiores, que são o Reitor,Vice Reitor e Pré Reitores”, coloca.

Joseli afirma que suas metas de campanha são todas realizáveis, não propondo nada que não possa ser implementado, e afirma que o mínimo que a universidade pode ter são instalações físicas adequadas, o que, segundo o candidato, não é visto no Campus de Corrente: “apesar de ter 20 anos de existência não tem uma estrutura que possa ser chamada de sala de aula, de laboratório, de biblioteca. Nós precisamos urgentemente realizar novas construções de Campus, de salas de aulas, de novos núcleos ou então realizar reforma dos já existentes”.

O professor também defende a  realização de concursos públicos para professores efetivos e  cita que em Corrente, o curso de Direito tem um único professor efetivo e mais de 10 professores substitutos. “Cursos, principalmente no interior do estado em que não têm professores efetivos, não há, teoricamente, compromisso com a inttituição por parte dos professores substitutos que apenas vão para a universidade porque são substitutos. Não se dá nem à estes professores a oportunidade de fazerem o concurso e tornarem-se professores efetivos”, pondera.

A  maior crítica que o candidato faz à atual administração da UESPI é que o atual vice reitor, que é candidato a reitor, e o atual reitor não dialogam com o governador do estado, afirmando que não há uma interação com o maior administrador do estado. “A nossa universidade é estadual, então o governador e o reitor tem que se entender, em forma de projetos. Tanto maior será a instituição quanto o administrador conseguir sensibilizar o governador, o presidente, o prefeito, para que haja exatamente o financiamento e a liberação de recursos por meio de projetos. Na verdade se vê uma apatia da UESPI no sentido desta visão de planejamento. Falta a UESPI planejar, o  que há é só execução”, aponta.

Joseli cita  outros problemas, como por exemplo, a falta de um restaurante universitário em Corrente, como em Teresina; as bibliotecas, que afirma serem espaços acanhados, de estrutura física quase inexistente e com poucos livros. “Precisamos melhorar a estrutura física das bibliotecas e a compra de livros”, enfatiza.

O candidato fala ainda que as propostas da sua chapa são as mesmas das outras, com a diferença de que os outros candidatos já estiveram no poder e nada fizeram. “O atual vice reitor já teve esta oportunidade há quatro anos e não fez, será que ele vai fazer nos próximos quatro anos?”, finaliza.

Link
Tags »
Candidato a Vice Reitor da UESPI Joseli Magalh es fala de suas propostas
Notícias Relacionadas »
Comentários »