10/06/2017 às 15h22min - Atualizada em 10/06/2017 às 15h22min

Viagem expressa no tempo

Gabriela Castro Lima Aguiar

Tripulantes ajustem os seus cintos, hoje nós partiremos numa viagem expressa pelo tempo. Convido vocês a relaxarem e desfrutarem da nossa primeira classe, como observadores da sua própria vida.

Sejam bem-vindos ao nosso primeiro destino, um lugar lúdico, no qual todos nós vivenciamos as nossas primeiras experiências com o mundo e tivemos o primeiro contato com as pessoas. A Infância é um lugar das memórias mais inocentes, povoada de lembranças mágicas.

Peço que por alguns segundos observem a infância de vocês. Conseguem ver como foi esse período através do vidro da janela?  Os primeiros passos, os primeiros sorrisos, os primeiros abraços, o primeiro dia na escola. Lembram-se das brincadeiras? E dos amigos?

É... Realmente a infância é um lugar adorável! E grandes sábios dizem que nunca devemos deixar de carregar conosco traços de criança. Quando pequenos somos conhecedores natos do mundo. Temos respostas para tudo, mesmo que para alguns pareçam impossíveis. Somos felizes apenas por sermos.

Ah, muito importante: olhem atentamente pela janela e percebam que também é aqui que começamos a desenvolver o que nos tornamos hoje. É aqui que somos educados e influenciados na formação do nosso caráter. Prestem atenção e vejam quais foram as suas principais ascendências.

Vamos seguir para a nossa próxima parada. Peço que apertem um pouco mais os cintos, porque a estrada aqui começa a ficar mais revoltosa, o que não a torna menos divertida e aventureira.

Chegamos na Adolescência. O local aqui às vezes não é tão tranquilo. Como vocês podem observar pela janela, muitas vezes ficamos confusos nesse período, com as novas descobertas, com o mundo “real” e com os conflitos que começamos a gerar.

Na adolescência também temos muitos novos aprendizados e é aqui que começamos a nos tornar mais independentes, ganhar mais espaço e a formar as nossas opiniões.

 É também nessa fase que não queremos ouvir as pessoas mais velhas, quase sempre julgamos que elas não sabem e nem nos entendem. Olhem atentamente pela janela. Percebam o quanto nos achávamos cheios da razão e nos julgávamos diferentes de todo mundo... É, nós ainda tínhamos bastante coisas para viver e conhecer.

Bem, vamos agora para a nossa próxima parada. Ela é um pouco mais tranquila que a Adolescência, mas também passa por algumas conturbações. Olhem bem ao redor, estamos na fase Adulta.

Aqui já nos consideramos experientes. Costumamos a pensar mais antes de agir e já entendemos que as pessoas mais velhas estavam certas na maioria das coisas que nos falaram na adolescência.

Observem. Aqui já somos totalmente independentes e muitas vezes, o que nós mais queremos é que alguém possa assumir algumas das nossas responsabilidades. Nos sentimos um pouco saudosos da nossa infância.

É nessa fase que nossas opiniões sobre diversos assuntos já estão formadas, mas isso não significa que não possam ser mudadas. Afinal, aqui já temos a plena consciência de que a vida é um ciclo em mutação contínua.  

Partiremos agora para o nosso último ponto da viagem. Sentem-se confortavelmente nos seus lugares. Olhem pelas janelas: somos Idosos.

Aqui já não temos toda a energia das outras fases da vida. Mas temos uma sabedoria enorme que adquirimos de acordo com as nossas experiências. Somos admirados pelo conquistamos ou simplesmente pela nossa personalidade.

É aqui também que temos o privilégio de observar todas as outras fases da vida e sermos capazes de compreender melhor o que se passou em cada uma delas. Um adendo: é aqui que nós precisamos de mais cuidado e carinho.

Senhores, nossa viagem chegou ao fim. Espero que tenham aproveitado cada etapa dela e que tenham aprendido coisas importantes em cada uma das nossas paradas. O que nós temos a dizer no final desta viagem é que nunca saberemos de tudo, mesmo na velhice, pois todas as nossas conclusões e opiniões são baseadas em nossas experiências de vida.

Todo esse percurso que fizemos agora foi para que os senhores saíssem desse expresso com um pouco mais de tolerância. Esse texto é sobre respeito as outras pessoas. Somos diferentes. Tivemos experiências diferentes ao longo da vida. Por mais que a viagem seja a mesma, nunca será igual para todo mundo.

Agradecemos a todos os passageiros e novamente frisamos: a compreensão é uma bagagem que devemos carregar desde cedo.

Link
Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp