22/04/2022 às 14h32min - Atualizada em 22/04/2022 às 14h32min

Moradores de toda a zona rural de Gilbués estão há mais de um ano sem atendimento médico

Vereador Joãozinho chama atenção para o estado de calamidade que vive a população do interior

Portal Corrente
Os moradores da zona rural de Gilbués vivem uma situação de calamidade na Saúde Pública desde o início do ano de 2021. Sem unidades de saúde abertas, a população do imenso interior do município é obrigada a deslocar-se, com custos próprios, até a sede da cidade caso necessitar de atendimento médico, odontológico ou até em situações de pequenas emergências, como febres e acidentes domésticos, ou necessidade de administração de medicamentos.

Ao todo são 5 Unidades de Saúde que estão com as portas fechadas e abandonadas, enquanto a população aguarda por uma solução, que não tem perspectiva. São elas as da localidade Enseada, Boqueirão, Compra Fiado, Cacimba e Lagoa Grande, todas sem atendimento, estando apenas os agentes de saúde executando o seu trabalho nas residências da zona rural. Em todo o município, estão em funcionamento apenas as Unidades de Saúde dos bairros São José e São Benedito, ambos localizados na zona urbana.

 
A situação absurda já foi denunciada por um dos vereadores do município, João Rodrigues Tavares, o Joãozinho (MDB), no início dos trabalhos legislativos do ano anterior, quando apresentou um requerimento, aprovado por unanimidade, solicitando ao poder Executivo que apresentasse à população gilbueense a escala de atendimentos médicos nos postos de saúde da zona rural. Passado mais de um ano, além do requerimento não ter sido atendido, a situação piorou ainda mais com o fechamento das unidades.

"Quando eu apresentei o requerimento no ano passado, já tinha 100 dias que a população da zona rural não tinha qualquer atendimento médico ou odontológico. Passado um ano, pra nossa indignação, as unidades estão fechadas e a população totalmente desassistida, um verdadeiro crime está sendo cometido com as pessoas mais necessitadas de Gilbués, os moradores da zona rural, que muitas vezes não têm nem o dinheiro pra se deslocar até a cidade. As pessoas estão adoecendo, podem até perder suas vidas, pelo fato de não ter assistência médica, que é um direito de todo cidadão", comentou.

Ele afirma que o executivo apresentou como justificativa, na época, a má situação das estradas da zona rural, assim como o estado precário das unidades de saúde, mas com previsão de reabertura em junho de 2021. "Esse fato não condiz com a realidade, a prova é que vários postos de saúde tinham acabado de ser reformados em 2020. Já a situação de abandono que estão hoje com certeza vão precisar de reforma. O outro motivo, estradas ruins, não é justificativa pra não abrir um posto de saúde, eles não são tão longe e qualquer carro mais alto consegue fazer o trageto. Ultimamente justificaram que não existem médicos interessados em atuar na zona rural do município, motivo pelo qual todas as unidades de saúde encontram-se fechadas. É a pior desculpa possível, todos nós sabemos que o poder executivo de todo o interior do Piauí e do Brasil enfrentam essa mesma situação e que as gestões sempre encontram uma solução pra não deixar a população sem atendimento médico. Trata-se de uma irresponsabilidade e descaso sem precedente com a nossa população, vamos levar essa situação até as últimas instâncias para resolver esse problema tão grave que passa a Saúde de Gilbués", acrescenta o parlamentar.

Com o objetivo de constatar in loco a situação das unidades de saúde, o vereador foi pessoalmente esta semana à três delas, e fez o registro do abandono dos imóveis. "Os prédios estão se estragando, o teto está caindo, elas estão sujas por dentro, um verdadeiro crime contra o patrimônio público e o dinheiro dos impostos pagos com tanto sacrifício pelos cidadãos. É de causar indignação, se nada for feito de forma urgente todos esses prédios vão se acabar de vez", denuncia Joãozinho.




Dona Roxa, uma moradora da localidade Compra Fiado e que reside ao lado da Unidade de Saúde fechada, fez questão de registrar a sua indignação com o fechamento do posto. "Aqui tem mais de ano que a gente não tem médico, a última vez foi em 2020. Quando precisa de médico tem que ir pra Gilbués, qualquer coisa que precisar. A gente queria que tivesse pelo menos uma vez por mês, duas ou três, mas até agora nenhuma vez. E esse prédio aqui, que tá fechado, deveria ser pelo menos bem cuidado, mas tá tudo sujo se acabando. A gente não tem é prefeito, se ele que manda não consegue resolver essa situação, a gente não tem esperança", diz a moradora.
 
Outra situação que o vereador Joãozinho considera irregular é a utilização de uma das unidades, justamente essa que fica ao lado da casa de dona Roxa, no Compra Fiado, que vai ser transformada em escola. "Além de acabar com a unidade de saúde vão colocar uma escola pra funcionar aqui, ou seja, eles não têm a menor intenção de reabrir a Unidade de Saúde", pontua o vereador.
 
O parlamentar ressalta que, além do desrespeito à população, a gestão municipal tem demonstrado completo desrespeito também aos parlamentares, que já solicitaram a regularização da situação há mais de um ano. "Essa situação é totalmente ilegal e humilhante para a população, enquanto eu for vereador eu vou lutar com todos os meus recursos para mudar essa realidade. A população tem o direito mínimo, básico, garantido por lei, de ter acesso a atendimento médico e a atual gestão vai ter que dar explicações sobre os motivos dessa irregularidade", finaliza o vereador.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp