06/06/2022 às 17h21min - Atualizada em 06/06/2022 às 17h21min

Piauí salta de 1.359 casos de dengue em 2021 para 11.766 em 2022, um aumento de 765,8%

Redação
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) disponibilizou o Boletim Epidemiológico referente a 21ª semana epidemiológica de 2022. De acordo com os dados, o estado apresentou, em relação ao mesmo período do ano passado, um aumento de 765,8%  do aumento nos números de caso de dengue registrados. Em relação a chikungunya, o boletim aponta que o crescimento foi ainda maior em relação ao mesmo período de 2021, com um crescimento de 5.417,7% no número de casos notificados. Em relação ao Zika vírus o estado apresentou redução 15,4% no número de casos notificados.

Em relação aos números da dengue, o boletim epidemiológico mostra um total de 11.766 casos notificados em 195 municípios durante 2022, ao passo que no mesmo período do ano passado o estado registrou 1.359 casos notificados em 83 municípios. Nesta 21° semana epidemiológica os sistemas de notificação apresentaram 10 óbitos confirmados por dengue no estado. 

Novo Santo Antônio; Antônio Almeida; Patos do Piauí; Simplício Mendes e Wall Ferraz são os cinco municípios piauienses, que na 21° semana epidemiológica, apresentaram as maiores incidências de casos de dengue por 100 mil habitantes.

No que é referente aos números de chikungunya no estado, o boletim aponta que na 21° semana epidemiológica foram notificados 4.359 casos em 114 municípios, enquanto que em 2021 foram 79 notificações em 20 municípios. Monsenhor Hipólito; Alagoinha do Piauí; Simplício Mendes; Vila Nova do Piauí e Alegrete do Piauí são os cinco municípios piauienses com maior incidência de casos por 100 mil habitantes.

Herlon Guimarães, superintendente de atenção primária a saúde aponta que os trabalhos de vigilância e acompanhamento da Secretaria vem sendo feitos para enfrentar os números crescentes registrados no estado, mas sinaliza que também é necessário o empenho da população nesse trabalho de enfrentamento ao mosquito transmissor das doenças.

“Nós estamos vigilantes, temos o nosso CIEVS acompanhando as notificações dos municípios diariamente, além de nossas equipes manterem um contato constante com os municípios, dando apoio técnico e verificando a melhor forma de ajudar cada cidade. No entanto, precisamos que a população entenda o seu papel nesse enfrentamento ao mosquito Aedes, muito se fala sobre o uso do fumacê, mas ele só tem um efeito direto no mosquito adulto, é preciso que a população ajude a evitar o surgimento de criadouros para que o enfrentamento seja mais efetivo em todo o estado”, explicou o superintendente.

O Secretário de Estado da Saúde clama pelo apoio da população no enfrentamento ao mosquito.
“A literatura e as fiscalizações mostram que mais de 80% dos criadouros detectados estão localizados em ambientes domésticos. Precisamos que a população trabalhe junto da Sesapi e de nossos municípios para que ocorra uma redução nos casos notificados. Somente com esse trabalho em conjunto poderemos vencer o mosquito Aedes e consequentemente  a dengue e a chikungunya”, pontuou o secretário.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp