01/04/2014 às 15h01min - Atualizada em 01/04/2014 às 15h01min

Livro que faz resgate histórico de guerra ocorrida no interior do Piauí já recebeu 10 prêmios de direitos humanos

"Guerra do Pau de Colher: Massacre à sombra da Ditadura de Vargas" foi lançado hoje na Assembléia Legislativa

Diário do Povo
O escritor piauiense Marcos Damasceno, natural do município de Dom Inocêncio, no sul do Estado, lançou hoje o livro "Guerra do Pau de Colher: Massacre à sombra da Ditadura de Vargas". A obra é um relato histórico sobre a guerra que ocorreu no ano de 1938 na época deste governo. Pau de Colher foi apresentado às 10 horas, em sessão solene na Assembleia Legislativa do Piauí.
 
O livro, que apresenta 684 páginas, faz um apanhado geral do que foi a guerra dentro de seu contexto histórico, mas também apresenta o relato dos sobreviventes na chacina Pau de Colher, que ocorreu no interior de Casa Nova - Bahia. A cidade faz divisa com o Piauí e por isso a guerra teve a participação de piauienses, alguns cearenses e pernambucanos. 
 
A comunidade da região foi destruída sob acusação de ser um reduto comunista, portanto, uma ameaça ao então governo. No entanto, o povoado tratava-se de um arraial messiânico. Mais de 200 famílias sobreviveram ao massacre e mais de 1.000 pessoas foram assassinadas. As que resistiram à tortura dão seu relato ao livro. Relato, que, segundo o escritor Marcos Damasceno, é bem mais verdadeiro. "Tenho informações de testemunhas oculares à chacina. Na época, poucos jornais, a mídia como um todo, quase não noticiaram sobre o fato, devido às repressões que recebia", declara Marcos Damasceno.
Segundo o escritor, a obra é uma forma de chamar a atenção das autoridades públicas para a reparação moral e a memória destas pessoas que sobreviveram ao massacre. Por isso, o livro também foi lançado na Assembleia Legislativa.
 
A obra já ganhou grande repercussão e foi apresentada também à Academia Piauiense de Letras (APL) e em eventos pelos municípios.
 
O livro Guerra Pau de Colher já recebeu 10 prêmios de direitos humanos, sendo um deles internacional. A guerra ficou conhecida por este nome devido à localidade onde ocorreu. O povoado Pau de Colher é conhecido por conter uma árvore, que de sua madeira produziam-se muitas colheres de pau.
 
Além desta obra, outros estudiosos e pesquisadores realizaram trabalho a fim de retratar melhor uma história que ficou "perdida" no tempo. As publicações contam com a participação dos moradores que ainda lutam para que todo enredo seja mais conhecido. 
 
Na localidade Pau de Colher moram cerca de 40 famílias. As casas não chegam a formar um arraial e a população sofre com a precariedade dos sistemas públicos. Na região não há posto de saúde, nem telefone público. A água vem de cisternas e com a energia solar dá para ter uma televisão em casa.
 
Boa parte da história desta localidade ficou esquecida, no entanto, as iniciativas realizadas têm ajudado para que o massacre seja repercutido hoje. As expectativas, conforme Marcos Damasceno, já vêm sendo cumpridas. "A obra tem a participação do Governo e já está sendo disponibilizada para as bibliotecas, sendo que deverá ser adotada nas escolas do município de Casa Nova (BA). Iremos também até as mídias nacionais. Então acredito que o papel está sendo cumprido", conclui o autor do livro.
 
Marcos Damasceno é escritor, participa de alguns conselhos e possui doutorado em Filosofia Política. O escritor tem também 19 publicações e com esta soma 20. Entre elas podem ser destacadas "João Rodrigues Damasceno", "Portal SEM - um convite ao aprendizado, Sociedade Informada", "Tiradas do Seu Severino" e "Zé Grande: o Rei dos Vaqueiros".

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp