19/06/2014 às 14h46min - Atualizada em 19/06/2014 às 14h46min

Secretário estadual de saúde visita o Hospital de Corrente

Médicos fazem solicitações urgentes ao gestor

Ascom; Fotos: Viviane Setragni

Por Viviane Setragni

O Secretário Estadual de Saúde, Mirócles Veras, esteve no município de Corrente nesta quinta-feira. Com a presença do Secretário Municipal de Saúde, Edivaldo Reis, da diretora do Hospital de Corrente, Samara Sá, e da equipe médica do hospital, uma reunião foi realizada, com o objetivo de levantar as principais necessidades da instituição.

O Dr. Jean Carlos Félix falou em nome da equipe e expôs as principais reivindicações. “O nosso hospital de Corrente cresceu muito, em vista do que era há muito pouco tempo atrás. Estávamos dentre os piores hospitais do Piauí, mas hoje, as nossas grandes realizações, apesar das dificuldades, nos causam grande orgulho”, colocou. O médico lembrou que no ano de 2013 o hospital realizou o primeiro mutirão de cirurgias, independentemente da força tarefa realizada pelo governo do estado. “Temos muita vontade e muita determinação, e por isso temos realizado grandes feitos”.

Uma das questões mais graves, colocada pelos médicos, tem sido o atraso nos pagamentos da equipe, assim como aos fornecedores, o que tem inviabilizado a continuidade da prestação de serviços e contribuído para a evasão de diversos profissionais. “Levamos certo tempo e montamos com muito cuidado a nossa equipe médica, que aos poucos está se desfazendo, principalmente por causa do atraso no pagamento dos salários. É uma pena, pois requer muito trabalho montar uma equipe como a que temos hoje”, enfatizou Dr. Jean.

Outro ponto levantado pelos médicos é a estrutura física do prédio, que necessita ser ampliada.  “Nossa equipe tem muita capacidade, que extrapola inclusive a estrutura que temos”.

A transferência dos pacientes de hospitais das cidades vizinhas também tem causado certo transtorno, pois não há sequer uma consulta informal para saber se há leitos disponíveis ou se o caso deve ser encaminhado a um hospital mais estruturado, causando a superlotação do hospital.

A diretora lembrou também a necessidade da realização de um concurso público. “Hoje nossa equipe possui muitos prestadores de serviço, o que eleva consideravelmente os custos, além de não permitir a continuidade na prestação de alguns serviços. Precisamos de funcionários efetivos, que trabalhem de forma contínua”, lembrou.

Por fim, Dr. Jean colocou: “O estado precisa continuar trazendo melhorias para podermos fazer mais. Nós precisamos fazer mais”.

O Secretário Mirócles Veras lembrou que o momento de transição do governo acabou causando a instabilidade na continuidade de algumas ações, mas que o governador Zé Filho está muito preocupado em todos os sentidos. “Tenho inclusive a ambição de fazer mais que o meu antecessor!”, colocou.

O gestor enfatizou que os pagamentos serão regularizados, e colocou ainda que o estado fará um complemento de 20% no recurso de Média e Alta Complexidade (MAC) repassado ao hospital. “Acredito que este valor será suficiente para a aquisição de todos os medicamentos, sem a necessidade de procedimentos burocráticos e demorados, como temos feito”, colocou a diretora Samara Sá.

Com relação à Central de Regulação, que tem por objetivo centralizar as transferências hospitalares, o secretário pediu a compreensão, já que o sistema acaba de ser implantado. Lembrou ainda que irá intervir junto ao SAMU, para que a burocracia seja menor para a utilização do SAMU aéreo. “É inconcebível que um paciente tenha que andar praticamente um dia e meio de ambulância para chegar à Teresina”, colocou.

Por fim, o secretário lembrou que o governador Zé Filho pediu que o serviço de saúde fosse prestado da melhor forma possível, e que toda a sua equipe técnica está altamente qualificada para resolver todas as questões pertinentes, em todos os âmbitos.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp