27/06/2014 às 13h37min - Atualizada em 27/06/2014 às 13h37min

VI Conferência Municipal de Saúde teve a participação de mais de 250 pessoas

Participantes participam da elaboração do Plano Municipal de Saúde na tarde desta sexta

Ascom; Fotos: Viviane Setragni

Por Viviane Setragni

Foi realizada na manhã desta sexta-feira a VI Conferência Municipal de Saúde e Saneamento de Corrente. O auditório do IFPI ficou lotado com os profissionais da área da saúde, acadêmico de diversos cursos e representantes de classe que foram prestigiar o evento, que este ano abordou o tema Acesso e Acolhimento com Qualidade, Um Desafio para o Sus.

O Secretário Municipal de Saúde e Saneamento, Edivaldo Reis, deu boas saudou de no conjunto de suas ações, focada na educação, na prevenção, na assistência familiar, no controle social, em contraproposta às demandas sociais, políticas culturais e tecnológicas e institucionais do nosso meio, é que estamos realizando a VI Conferência Municipal de Saúde, em parceria com o Conselho Municipal de Saúde, tendo como tema o Acesso e Acolhimento com Qualidade, para tentar melhorar o cotidiano das equipes de Saúde da Família junto aos seus clientes”.

Após as boas vindas e primeiras considerações, a equipe de teatro Paranoicos, formada por servidores, apresentou uma encenação cômica, mas ao mesmo tempo crítica, sobre a saga de um paciente que procura o sistema de saúde público, sendo atendido por diversos médicos e profissionais da área, que acabam por confundi-lo com os diversos diagnósticos, deixando-o ainda mais doente.

A Coordenadora do Programa de Saúde da Família (PSF) e presidente do Conselho Municipal de Saúde, Bianca Franco, proferiu a primeira palestra, tendo como tema “Acolhimento”, em que foi destacada a importância desta, que é a primeira etapa do atendimento na saúde pública. “A recepção ao paciente não chega a ser uma triagem, mas sim uma “escuta qualificada”, a principal ferramenta tecnológica de reconhecimento da necessidade em qualquer serviço de saúde”, destacou. A biomédica também lembrou dos critérios inaceitáveis no acolhimento, como priorizar a ordem de chegada, o atendimento exclusivamente agendado e o dia mensal de agendamento. “Estas práticas não são eficazes e muitas vezes perdemos o paciente, ou seja, ele não volta mais por causa da grande dificuldade em simplesmente ser atendido”.

A Defensora Pública titular da comarca de Corrente, Dra. Sheila de Andrade Ferreira, ministrou a palestra “Ética e Cidadania no Acolhimento”, destacando principalmente a importância da privacidade e do sigilo. “Antes da Constituição de 88, o sistema público de saúde priorizava exclusivamente o tratamento medicamentoso, mas a partir dela, a saúde pública passou a ter leis que garantem o acesso amplo da população, e  o acolhimento passou ser explicitado. E a garantia da privacidade e do sigilo também estão garantidas em lei”, enfatizou.

Já o Secretário Edivaldo Reis abordou o tema Aplicabilidade dos Recursos, explanando aos presentes os diversos recursos que são repassados ao município, e a necessidade da excelência e da eficácia no atendimento também como requisito para a liberação destes recursos.

Ao total mais de 250 pessoas compareceram à Conferência, demonstrando o interesse da comunidade no assunto. “Esta é a forma como poderemos efetivamente ocasionar uma melhora no sistema de atendimento, quando toda a comunidade participa”, finalizou.

No período da tarde os participantes contribuirão para elaborar as metas do Plano Municipal de Saúde, que irá vigorar pelos próximos quatro anos.

Comissão Organizadora


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp