06/09/2014 às 14h37min - Atualizada em 06/09/2014 às 14h37min

Governo barra liberação de R$ 330 milhões para o Piauí

Governador Zé Filho acusa o Governo Federal de retaliação

Diário do Povo
O empréstimo de R$ 330 milhões do Banco do Brasil ainda não foi liberado pelo Governo Federal para o Governo do Estado. Segundo informações da Controladoria Geral do Estado (CGE), os recursos não foram liberados porque o Piauí tem sido reiteradamente inscrito no CAUC (Cadastro Único de Convênios) do Tesouro Nacional. O governador Zé Filho (PMDB) acusou o Governo Federal de retaliação por ter decidido romper com a presidente Dilma (PT) e votar no senador Aécio Neves (PSDB).
Para o governo do Estado, o Governo Federal está deliberadamente criando dificuldades para prejudicar a administração estadual. A Secretaria Estadual de Fazenda confirmou ontem que os valores não foram liberados e nem tinha previsão para entrar na conta do Estado, apesar de inúmeras exigências burocráticas já terem sido cumpridas para que os valores fossem liberados. A inscrição no CAUC é um impeditivo legal para a liberação de recursos aos estados.
 
O governador Zé Filho (PMDB) denunciou retaliação do Governo Federal, porque ele tinha declarado publicamente apoio à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) à presidência da República. Ele chegou a ameaçar retirar as contas do Governo do Estado do Banco do Brasil. Mas as pendências com o BB foram resolvidas, e agora o entrave está na Secretaria do Tesouro Nacional. 
 
Zé Filho já contava com os recursos para dar continuidade a obras que estão paralisadas no Estado. Dentre as obras tidas como prioritárias estão o Rodoanel e o Centro de Convenções de Teresina, a construção de um centro de eventos e de uma ponte sobre rio Poti, dentre outras. Segundo o governador, as obras foram  relacionadas pelas secretarias de Planejamento, Infraestrutura, Governo e a Fazenda, a quem caberia liberar as parcelas do pagamento.
 
Um auditor fiscal da CGE revelou que praticamente todo dia o Governo Federal está inscrevendo o Piauí no CAUC, o que impede a liberação de recursos. Ele, que pediu reservas do nome, informou que já inscreveram o Piauí com convênios de 2002. De acordo com o auditor, o governo do Piauí anoitece fora do CAUC e, pela manhã, já tem uma nova inscrição. O secretário de Fazenda, Raimundo Neto de Carvalho, que foi empossado anteontem no cargo, confirmou que o governo ainda aguarda os recursos para dar continuidade às obras. 
 
Mas ele não quis se aprofundar no assunto, alegando que ainda está se inteirando da situação da Secretaria de Fazenda.  Ontem, Neto Carvalho se reuniu com todos os técnicos da Fazenda para comunicar as mudanças, pedir empenho no trabalho e falar sobre a meta de incremento na arrecadação.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp