20/05/2013 às 17h13min - Atualizada em 20/05/2013 às 17h13min

Anemia Infecciosa Equina ainda é uma realidade na região

Vereadores iniciam discussão para encontrar uma solução

Portal Corrente

A Anemia infecciosa Equina é uma doença sem cura e sem tratamento, e na época em que estamos adentrando, as de vaquejadas, volta a preocupação com a enfermidade, pois além dos sintomas visíveis, como febre, fraqueza, anemia, entre outros, os portadores da doença podem ser assintomáticos, ou seja, os animais podem estar doentes porem não apresentam sintomas. O contágio pode se dar pelo simples contato, o que a torna ainda mais perigosa.

Preocupados com a situação, os vereadores iniciaram uma discussão que visa encontrar uma forma de controlar a disseminação da doença na região. Na Sessão Ordinária n°638, o presidente da Câmara, o vereador Flávio Rivelino, trouxe à tona o tema, lembrando que muitas pessoas no município gostam de criar estes animais, mas que infelizmente a prática de serem deixados soltos pelas ruas agrava ainda mais a situação: “muitos criadores importantes podem deixar de participar das vaquejadas em nossa região justamente por receio de contaminação dos seus animais, que às vezes têm um preço de venda muito alto, preferindo não arriscar o contato com animais que possam ser portadores da doença”, colocou o vereador, que lembrou ainda que na legislatura passada já havia sido entregue um requerimento solicitando providências para que se encontrasse uma forma de erradicar a doença na região.

O Coordenador Regional da Adapi, Uendel Moreira Lino, esclarece que a assinatura de um Termo de Cooperação entre a prefeitura e a Adapi viabilizaria a realização de exames a um custo mais acessível,  porém a forma como seriam feitos é que ainda precisa ser analisada, já que a região é consideravelmente grande e seria inviável a realização do exame em todos os animais. Outra questão abordada por Uendel é o péssimo hábito que ainda persiste na região, onde os animas não são mantidos presos por muitos criadores, contribuindo ainda mais para a propagação da doença.

O vereador Flávio Rivelino afirma que irá se reunir com o Secretário de Desenvolvimento Rural do Município, conjuntamente com o Coordenador Regional da Adapi, assim como todos os que quiserem se unir nesta luta pelo controle e erradicação da doença na região, o que considera indispensável para que as vaquejadas, que são talvez a maior expressão tradicional da região, não fiquem ameaçadas pelo medo do contágio. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp