01/06/2015 às 21h24min - Atualizada em 01/06/2015 às 21h24min

Secretário Estadual de Saúde recebe a diretora do Hospital de Corrente, acompanhada pela vice-governadora Margarete Coelho

Situação do hospital que atende 24 municípios é crítica

Portal Corrente; Foto: Facebook Margarete Coelho

A diretora do Hospital Regional de Corrente,  Lindaura Perpétua Cavalcante (Peta), acompanhada pela vice-governadora Margarete Coelho, foi recebida  nesta segunda-feira (1) pelo Secretario Estadual de Saúde, Francisco Costa. A pauta da reunião, que teve por objetivo reivindicar melhorias urgentes para o hospital, incluiu algumas solicitações urgentes como a instalação do mamógrafo e a aquisição de uma nova ambulância.

Desde o mês de outubro do ano passado o hospital, que atente a 24 municípios da região, enfrenta inúmeras dificuldades devido ao atraso nos repasses. Mesmo com os atrasos nos pagamentos registrados no final do ano, os servidores da casa têm o seu salário em dia. Já os médicos contratados estão com os pagamentos de 2014 em aberto, motivo pelo qual a especialidade de ortopedia, por exemplo,  não possui nenhum profissional para atendimento desde então. “Os médicos, muito bons por sinal,  vinham de Barreiras/BA e deixaram de atender quando perceberam que não havia perspectiva de recebimento dos pagamentos em atraso”, informa um dos médicos do quadro efetivo.

Enfermeiros relatam que casos de fraturas simples tem sido atendidos por clínicos gerais na emergência e posteriormente os pacientes acabam procurando o único médico ortopedista da região, que embora atenda como clínico geral no hospital, só atende como ortopedista em sua clínica particular. Casos complexos são encaminhados a hospitais de Bom Jesus e Teresina.

Não raro faltam materiais básicos de atendimento médico, como soro fisiológico, luvas e medicamentos. Gestantes relatam que, para poderem realizar uma cesárea, tiveram que adquirir um kit básico, pois no hospital não havia o mínimo suficiente para a realização de cirurgias. Equipamentos como o raio-x operam precariamente e necessitam de manutenção urgente.

A Promotora de Justiça Gilvânia Alves Viana instaurou Processo Administrativo contra o hospital devido às graves denúncias. “Sabemos que o hospital está funcionando sem a licença sanitária, além de diversas irregularidades e denúncias sobre o atendimento. Faremos uma visita para verificar se o que nos afirmaram que foi regularizado de fato o foi e diante do que constatarmos tomaremos as devidas providências”, colocou.

A promotora também afirmou que diversos itens do Termo de Ajuste de Conduta (TAC), assinado em 30 de outubro de 2014, terão que ser reavaliados e um novo prazo para o cumprimento das exigências será dado, caso seja constatada a boa vontade do hospital de realizar mudanças urgentes e indispensáveis.

Na última semana, antes de viajar à capital Teresina, a diretora recém empossada afirmou ao Portal Corrente que estava tomando conhecimento de todas as urgências do hospital e que estaria levando as necessidades ao Secretário Estadual.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp