02/03/2016 às 20h25min - Atualizada em 02/03/2016 às 20h25min

Piauí deve alcançar em breve a liderança da produção nacional de energia eólica

Alepi

O secretário de Mineração, Petróleo e Energias Renováveis, Luis Coelho, disse, hoje (2), na Assembleia Legislativa, que o Piauí poderá se tornar, em breve, o maior produtor de energia eólica da América Latina. Ele fez uma exposição sobre os projetos de produção de energia "limpa" no estado, afirmando que, além de um grande número de empresas interessadas no setor, cerca de 800 novos interessados estão inscritos para receber financiamento de instituições federais e instalar unidades de produção energia solar em suas residências.

Luis Coelho agradeceu aos deputados a aprovação de leis que têm contribuído para atrair investimentos nacionais e estrangeiros para o setor de energia, incluindo a criação do Programa Piauiense de Produção de Energia Limpa (Propidel), que prevê a adoção de tratamento tributário diferenciado para as empresas que fabricarem equipamentos e insumos destinados à geração de energia eólica e solar, dentre outras.

O secretário iniciou sua exposição dizendo que existem cinco áreas do Estado em que estão sendo investidos recursos na produção de energia eólica. Duas empresas trabalham para produzir 88 megawatts de energia em Parnaíba, enquanto na Serra da Ibiapaba onde ficam os municípios de São Miguel do Tapuio e Assunção do Piauí existe potencial para a produção de 4 gigawatts de energia.

“Na Chapada do Araripe, no Sul do Estado, já tem um parque eólico em funcionamento com a produção de mais de 1,4 megawatts”, informou o secretário, assinalando que a empresa Votorantim pretende aplicar R$ 3,3 bilhões na geração de energia eólica na região dos municípios de Paulistana, Betânia do Piauí e Curral Novo.

Luis Coelho disse que o custo de produção de energia solar caiu de 76 dólares para 0,30 centavos de dólar, o que tem contribuído para a geração de energia residencial. Ele assinalou que o Governo Federal decidiu adquirir o excedente de energia produzido por pequenos e médios investidores, o que também está incentivando a produção individual de energia, principalmente em moradias.

Acrescentou o secretário que as principais vantagens da produção de energia limpa são a redução do valor pago pelos consumidores, a melhoria das condições ambientais, a redução da perda de energia e a geração de emprego e renda. Ele assinalou que o investimento realizado para a geração de um megawatts de energia, em torno de R$ 5 milhões, possibilita a geração de 30 empregos.

Luis Coelho disse que a empresa Ouro Preto Óleo e Gás está realizando pesquisas para saber o potencial de produção de gás na região de Floriano, Nazaré do Piauí e São Francisco do Piauí, enquanto duas empresas atuam na exploração de minério de ferro em São Raimundo Nonato, Curral Novo e Paulistana, onde também está sendo produzido ouro.

Antes de concluir sua exposição, o secretário de Mineração anunciou que uma empresa alemã pretende instalar no Piauí uma fábrica destinada à produção de equipamentos para geração de energia solar. Em seguida, Luis Coelho se colocou à disposição para responder aos questionamentos dos parlamentares.

 

Texto: J.Barros

Foto: Caio Bruno

Edição: Caio Bruno/Paulo Pincel 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp