16/02/2016 às 14h37min - Atualizada em 16/02/2016 às 14h37min

João de Deus defende anistia de débitos para motocicletas

Alepi

Após comunicar sua recondução à liderança do governo e defender relacionamento harmonioso com as bancadas partidárias, o deputado João de Deus (PT) voltou a defender sua sugestão de projeto de lei ao governo, para anistiar débitos de motociclistas, para que a grande quantidade de veículos irregulares diminua. Em sua fala, o deputdo defendeu que antes de qualquer medida haja um amplo debate, sobretudo com motociclistas do interior do Estado.

João de Deus disse que as campanhas de educação de trânsito não chegam todos os municípios e que os cursos devem ser obrigatórios, sobretudo em relação ao uso do capacete, sendo que, nesse particular, o motociclista assine um termo de responsabilidade. Ele considera muitoalto o númesro de pessoas que chegam acidentadas no HUT, alguns já sem vida. Segundo João de Deus, a ideia é dividir o IPVA em até seis parcelas.

O deputado Rubem Martins (PSB) considerou importante a idéia do orador sobre a questão das motocicletas, principalmente pelo elevado índice de acidentes. Ele lembrou que no interior do Estado até o vaqueiro usa a motocicleta em sua atividade. Também em aparte, o deputado Wilson Brandão (PSB) lembrou que no governo Wilson Martins foi feita uma anistia de débitos atrasados e foi um fracasso de arrecadação.

Também em aparte, os deputados Dr. Pessoa (PSD) e Evaldo Gomes (PTC) consideraram importante a proposta para regularização dosmotociclistas, sendo que Evaldo observou que muitos motoqueiros nãoregularizam a situação de seus veículos por falta de condiçõesfinanceiras. O deputado Aluísio Martins (PT) também foi solidário como orador, chegando a sugerir que seja estudada a possibilidade de uma habilitação rural. O deputado Marden Menezes (PSDB) sugeriu que o governo busque uma forma de reduzir as taxas.

Repórter: Raimundo Cazé - Edição: Caio Bruno

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp