15/06/2016 às 23h27min - Atualizada em 15/06/2016 às 23h27min

Deputados discutem Fundo Previdenciário em audiência

Alepi

Após a explanação do secretário de Planejamento do Estado, Antônio Neto, sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias para o Piauí, foi iniciado o debate. O assunto central da discussão foi a preocupação do Governo em relação ao Fundo Previdenciário.

Diante disso o deputado Wilson Brandão (PSB) pediu explicações ao secretário Antônio Neto sobre  quais medidas efetivas o Governo temtomado para resolver ou ao menos amenizar o déficit previdenciário, que segundo o parlamentar, teve um aumento, em relação ao ano de 2015de 72% “É um aumento absurdo de um ano para o outro”, questionou.

Antônio Neto explicou que os números apontados para 2016 ainda é umaprevisão, mas que segundo a SEAD houve um número muito alto de “represamento”  de cargos e salários  que está sendo refletido agora,além do número de aposentados que tem aumentado. Na oportunidade sugeriu uma audiência pública para ser discutida a massa salarial doEstado e impactos para os próximos anos. "Na minha opinião, o  cenárioé extremamente preocupante. Temos que colocar isso como centro do debate”, disse.

Os deputados João de Deus (PT) e José Hamilton (PTB) parabenizaram Antônio Neto pela forma clara que apresentou os dados e tambémdemonstraram interesse e preocupação em discutir, posteriormente, deforma mais aprofundada o tema previdenciário.

Representando o Fórum Piauiense de Convivência com o Semiárido, CarlosHumberto, levou para o debate a importância do olhar mais atento paraos problemas enfrentados na agricultura familiar, que segundo ele, é amaior riqueza do Estado, apesar do Piauí investir nos serviços. “OPiauí basicamente tem riqueza gerada por agricultores rurais, masinveste mais em serviços. De que forma está priorizado investimentospara que se amplie o potencial do Estado?”, questionou.

Para Carlos Humberto o que falta são Projetos de Desenvolvimento eSustentabilidade para o Semiárido. “Até hoje não temos projetosvoltados para a agricultura familiar, na produção de sementes. Veja bem, estamos vivendo no quinto ano de seca no Piauí e para distribuirsementes tivemos que recorrer a CONAB, à região centro oeste, comoiremos produzir alimentos para esse povo? É a previdência que vai darsustentabilidade para isso? Não estamos criticando, mas essa é areflexão que trazemos”, pontuou.

Antônio Neto considerou oportuna a preocupação com o Semiárido e afirmou que durante as discussões da LOA – Lei Orçamentária Anual haverá oportunidade para isso. Relatou que o Programa com o Banco Mundial firmado recentemente contempla esta área, incluindo as questões dos recursos hídricos e regularização fundiária.

A deputada Flora Izabel (PT) aproveitou a discussão para informar quepretende colocar uma emenda de política de convivência com o semi áridona área de banco de sementes, tecnologia e programa de rádio voltadopara as questões do semiárido. “Faremos uma proposta para o presidente desta casa para um programa na rádio Assembleia trabalhando estaquestão em seguida se der certo, nós poderemos chegar a um programa detelevisão. É um tema importantíssimo para nós que ainda convivemos com a seca”, destacou.

Participaram da audência os deputados Robert Rios (PSB), João de Deus(PT), Severo Eulálio (PMDB), Dr. Hélio (PP), José Hamilton (PTB),Wilson Brandão (PSB), Evaldo Gomes (PTC), Liziê Coelho (PTB), JoãoMádison (PMDB) e Flora Izabel (PT). Isolda Monteiro. 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp