06/04/2017 às 12h19min - Atualizada em 06/04/2017 às 12h19min

Robert Rios justifica voto contra empréstimos solicitados pelo governo

Alepi

O deputado Robert  Rios Magalhães (PDT), ao iniciar sua fala, durante o tempo de dois minutos para os pequenos avisos, na manhã desta quarta-feira (6), no plenário  da Assembleia Legislativa do Piauí, justificou o voto contra os empréstimos solicitados pelo governador Wellington Dias. 

“Senhor presidente, esta Casa acaba de aprovar, quase por unanimidade, mas com o voto contra do deputado Robert Rios, autorização para que o governo pudesse contrair  dois empréstimos. Eu votei contra não é porque tenho raiva de governo não, é porque eu sei que o governador Wellington Dias e o seu governo, não precisam de empréstimos”, argumentou 

O parlamentar disse ainda que estava com um documento em mãos, de que só no mês passado, mês de março, foram empenhados, na Coordenadoria de Comunicação do Estado do Piauí, R$ 34 milhões 780 mil, e efetivamente pagos R$ 16 milhões 340 mil.

“O governo, só no mês de março passado, pagou quase dezesseis milhões  e meio, de mídia. Para uma empresa só, que eu ainda vou investigar com profundidade, o governo pagou, oito milhões e mil reais”, declarou Robert Rios.  Ele lembrou que nasceu e se criou no estado do Piauí e ficou sabendo de portais, que ele nunca ouviu falar. Alguns dos portais, anônimos e secretos, segundo ele, mas que receberam dinheiro.

Robert Rios pediu ao presidente Themístocles Filho (PMDB) que a Mesa apresente  na sessão de amanhã, dia 06, quanto foi gasto de investimento pelo governo do Piauí, para a segurança pública do Estado, no mês de março passado . “Eu quero comparar a segurança pública com a comunicação do governo, para saber se o governo está valorizando mais a segurança ou mais a comunicação”, finalizou o parlamentar.

O deputado Themístocles Filho se manifestou e disse que não iria fazer defesa do governo, mas que acreditava que o governo não pagou esse valor; que esse montante ao qual o deputado Robert Rios se referiu, deve ser referente aos meses passados.

O deputado Gustavo Neiva (PSB) também questionou os valores e disse serem exorbitantes para um mês só. “Pelo o que eu entendo de administração pública, se fosse de  meses anteriores, senhor presidente, vinha empenhado no mês que foram feitos as despesas. Quando se liquida empenhos de meses anteriores, tem que se fazer referência ao mês ou meses que o empenho foi feito. É estranho, mas nós temos que aprofundar se realmente isso aconteceu. É só solicitar informações mais detalhadas”, concluiu o deputado Gustavo Neiva.

O deputado Themístocles Filho disse que vai conversar com o coordenador de Comunicação, João Rodrigues, para que este possa dá uma explicação devida. “No meu entender,  foi de meses passados”, disse. Themístocles Filho ligou para o coordenador e esse se comprometeu a debater o assunto com os deputados nesta quinta-feira (6), no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa.

O deputado Rubem Martins (PSB) sugeriu ao  deputado Robert Rios, ao deputado Gustavo Neiva e à Casa, que convidem o secretário de Comunicação, para vir a Casa, explanar a questão, para os deputados.

Texto: Lindalva Miranda
Foto: Caio Bruno
Edição: Paulo Pincel   


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp