28/04/2017 às 13h47min - Atualizada em 28/04/2017 às 13h47min

Manifestação em Corrente para a BR 135 por quase 4 horas na manhã de hoje

Viviane Setragni
Portal Corrente

O movimento grevista organizado por servidores e docentes do IFPI Corrente na manhã desta sexta-feira (28) parou a BR 135, chamando a atenção da população para a perda dos direitos trabalhistas brasileiros, aderindo à Greve Geral Nacional.

O ato, coordenado pela Seção Sindical dos Servidores do Instituto Federal do Piauí-Campus Corrente (SESISIFPI) e pelo Grêmio Estudantil do IFPI, contou com a participação de um grande número de docentes e estudantes do IFPI, assim como a adesão do SINTE, SINPESPI, OAB e pessoas da comunidade, que se solidalizaram com o movimento e as reivindicações dos docentes e estudantes.

A participação especial, já quase no final do movimento, ficou por conta de indígenas de 5 tribos do Ceará,  que retornavam da grandiosa manifestação realizada em Brasília essa semana em protesto pelas perdas na demarcação de terras, e que se juntaram às manifestações de Corrente, fazendo voz às reivindicações do ato.

O professor Júlio Cesar Alves Martins, que atua no IFPI e na rede municipal de ensino, destacou: “Esse evento está sendo grandioso; primeiro pela consciência política dos participantes de manifestar a sua indignação com as reformas trabalhistas e previdenciária, pelo governo federal. Também podemos ver aqui a articulação com as redes municipal e estadual, que se juntaram à manifestação, destacando que este não é um movimento político contra governo de esquerda ou de direita, mas contra os abusos que estão sendo cometidos contra os direitos sociais dos cidadãos brasileiros”.

A professora Bruna Iwata, uma das idealizadoras do movimento, agradeceu a participação de todos que participaram do ato: “Agradecemos aos trabalhadores e trabalhadoras da educação, os estudantes, ao apoio da Polícia Militar e da comunidade que se fez presente por entenderem que o manifesto não é baderna, anarquia mas sim contra as atrocidades que estão acontecendo com as leis trabalhistas, conquistadas por meio da luta de muitos trabalhadores, sendo modificadas nas madrugadas de Brasília. Nós mostramos que o país podem sim mostrar que está consciente, que parou, e que Corrente, no extremo-sul do estado do Piauí, tem voz, tem conhecimento político e não vai deixar qualquer atrocidade dessa acontecer sem se manifestar!”.

A manifestação aconteceu na ponte localizada próximo à rotatória da entrada da cidade de Corrente, local estratégico, já que o outro acesso pelo bairro Vermelhão está interditado. Apesar dos protestos dos motoristas dos veículos parados e dos passageiros dos ônibus, o trânsito permaneceu interditado das 8h30 às 11h, contando em todo o período com a presença do 7º Batalhão de Polícia Militar de Corrente.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp