20/06/2017 às 08h03min - Atualizada em 20/06/2017 às 08h03min

Alargamento da BR-135 não sai tão cedo

Por Zózimo Tavares, Cidade Verde

Zózimo Tavares
Cidade Verde

As obras de melhoria da BR-135, a estrada da morte, não serão feitas tão cedo. O superintendente do Dnit no Piauí, Paulo de Tarso Cronemberger, informou ontem que o projeto executivo para a obra está pronto, mas dependente da liberação de recursos para sair do papel.

Ele disse que o projeto prevê o alargamento da pista da estrada de 6 para 7 metros, com a implantação de mais 2,5 metros de acostamento cada lado, como área de escape em caso de necessidade. São necessários R$ 350 milhões para a obra.

Em sua opinião, essa seria a solução ideal, no momento, porém os recursos só podem ser viabilizados para o orçamento do próximo ano. Isso, claro, a depender ainda do interesse e do empenho da bancada federal, se entender a intervenção como prioritária.

A outra solução, conforme o superintendente do Dnit, seria retirar recursos para a manutenção da malha rodoviária federal no Piauí para priorizar o trecho da BR-135 que corta o Sul do Estado. Somente este ano, esse trecho já registrou 31 mortes, o dobro do número de mortes em todo o ano passado.

Mais uma tragédia

O último acidente com vítimas fatais na estrada ocorreu no sábado passado, em Redenção do Gurguéia, envolvendo um ônibus de turismo. No desastre, morreram nove passageiros e 19 ficaram feridos, alguns gravemente.  30 pessoas viajavam no onibus, sendo 28 passageiros e dois motoristas.  

Pista estreita, sem acostamento, e altura irregular do pavimento, chegando em alguns trechos a 35 centímetros de altura, em função do recapeamento constante, são algumas das irregularidades da estrada.

Se o motorista tirar o pneu do carro da pista, por algum motivo, capota inevitavelmente. Quando não é precipício, é uma barreira vegetal dos dois lados da pista.

Projeto engavetado

Os caminhões, com os retrovisores, dão 2 metros e 80 centímetros. Os carros pequenos medem de 2 metros e 40 a 2 metros e 60 centímetros. Não sobra nada de folga. Quando duas carretas se encontram, uma para e a outra passa bem devagar.

Todos os outros Estados estão alargando as rodovias federais para 12 metros, menos o Piauí. Já existe há muito tempo um projeto para alargar a BR-135. Ele está engavetado por falta de iniciativa dos representantes políticos do Piauí.


Paulo de Tarso Cronemberger, superintendente do Dnit, nos estúdios da Rádio Cidade Verde


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp