06/08/2017 às 08h10min - Atualizada em 06/08/2017 às 08h10min

Gustavo Neiva critica informações divergentes sobre contratos do Governo

O deputado Gustavo Neiva(PSB) ocupou o grande expediente da sessão desta quinta-feira(3) para repercutir matéria divulgada pelo Jornal Diário do Povo, que levantou suspeitas sobre as privatizações de empresas públicas e as chamadas PPPs – Parcerias Público-Privadas.

Gustavo destacou que o jornal fez uma análise de forma cronológica, relacionando todas as empresas que herdaram a gestão de empresas públicas como rodoviárias, Ceasa e, mais recentemente, a Agespisa. O deputado também levanta suspeitas sobre algumas “coincidências”, como a do endereço das empresas envolvidas e do escritório da superintendente, Viviane Moura, que funcionam no mesmo prédio.

O deputado também pediu explicação para o fato de terem lhe enviado dois relatórios sobre as PPPs das rodoviárias, com informações divergentes. “Num relatório informaram que o contrato era de 24 meses e no outro era de 180 meses de validade, com obrigação de pagar 2% do faturamento das empresas para o Estado”, disse Gustavo Neiva.
Apartes

O pronunciamento de Gustavo Neiva mereceru apartes dos deputados Doutor Pessoa(PSD), Robert Rios(PDT) e João de Deus.
Doutor Pessoa disse discordar das PPPs no tocante aos investimentos. “Se for para investir dinheiro público nos reparos e ampliação das empresas, eu discordo. Até agora só estamos vendo a empresa Águas de Teresina fazer propaganda. Esta empresa que assumiu os serviços de abastecimento dágua de Teresina está ganhando dinheiro fácil, pois nós temos dois rios com água abundante e de qualidade”, disse Pessoa.

Robert Rios defendeu logo foi uma investigação no setor de licitação do governo Wellington Dias(PT) e também suspeita a localização dos escritórios das empresas envolvidas nas transações das PPPs, inclusive a do governo que é dirigida pela Superintendente Viviane Moura e outro de uma empresa da qual é sócia do atual marido. Robert também denunciou o excesso de gastos com o setor de comunicação do Estado.

Saindo em defesa do Governo, o líder João de Deus(PT) disse discordar completamente das acusações feitas com relação ao caráter da superintendente Viviane Moura e do secretário de administração, Franzé Silva, que cuidam das licitações do governo e da implantação das PPPs.

João de Deus chega a questionar a origem da matéria do jornal “Diário do Povo” e a quem interessa a sua divulgação. “Se uma
matéria grande é publicada sem assinatura do autor só pode ser matéria paga. Tem alguém querendo prejudicar o Governo. Pra mim a doutora Viviane e o Doutor Franzé são pessoas honradas”, arrematou João.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp