25/09/2017 às 13h57min - Atualizada em 25/09/2017 às 13h57min

Correntino vive em estado vegetativo após ser atingido em acidente por motorista embriagado

Acusado teve pedido de liberdade negado pela justiça

Portal Corrente

Uma audiência realizada nesta quarta-feira (20) no Fórum da Comarca de Corrente reuniu provas e ouviu testemunhas sobre um grave acidente ocorrido em 30 de setembro de 2016. Na ocasião, o condutor do veículo Pálio, dirigido por Renan Mascarenhas Marques, 38 anos, colidiu com uma motocicleta pilotada por Nilson Barros da Rocha, 51 anos, nas proximidades do Posto Imperial. O condutor da motocicleta ficou gravemente ferido, sendo socorrido pelo SAMU e encaminhado ao Hospital Regional de Corrente.

Durante a averiguação da Polícia Militar, a mesma constatou que o condutor do Pálio apresentava visíveis sinais de embriaguez. Embora tenha negado a responsabilidade pela autoria do acidente, na delegacia o motorista confessou que havia consumido álcool desde às 19h45 do dia anterior até às 5h da madrugada, conforme consta nos autos do processo 0000814-94.2016.8.18.0027.

Preso em flagrante pelo crime de lesão corporal culposa, Renan Mascarenhas Marques  foi solto no dia seguinte sob o pagamento de fiança de R$ 2.500,00 com a condição de que não voltar a ingerir bebidas alcoolicas, frequentar bares ou conduzir veículos. Entretanto, no dia 29 de outubro, apenas um mês após o acidente, Renan postou em sua página pessoal do Facebook fotos em conhecido restaurante de Brasília, com copo de cerveja na mão, motivo pelo qual a justiça acatou a recomendação do Ministério Público, decretando a prisão preventiva do acusado.

Nilson Barros da Rocha, o acidentado, teve traumatismo craniano, com múltiplas fraturas de face, e paralizia total do lado esquerdo do corpo. Por conta das alterações nos órgãos articulatórios, como boca e língua, perdeu a capacidade de comunicação verbal. Também foi apontado pelo laudo médico hemorragia intracerebral e consequente problema pulmonar. Por conta da lesão também perdeu a audição.

“Devido as graves lesões, foi transferido imediatamente para Teresina e desde esse dia, 30 de setembro de 2016, abandonamos a nossa casa em Corrente . E hoje, por causa das lesões neurológicas o Nilson não pode sequer ficar sentado, ele precisa ficar amarrado à cadeira. Ele também usa órtese na mão e no pé e a alimentação é feita através de uma sonda” explica a esposa do acidentado, a servidora pública Gildete Mascarenhas Louzeiro.

Atualmente Nilson é assistido por enfermeiros por 24h e recebe assistência multiprofissonal de fisioterapia, fonoterapia, nutrição e consultas médica especializada. “Ele tem uma vida praticamente vegetativa e ainda não entende o que aconteceu. Já passou por 5 cirurgias, duas delas na cabeça. A última foi feita na semana passada, uma cranioplastia”, relata a esposa.

A defesa de Renan afirma que ele nada pode fazer para evitar o acidente. “O depoimento prestado pelo denunciado reforça a tese de que a colisão entre os veículos não resultou de imperícia, negligência ou imprudência”, consta no pedido de habeas corpus.

De acordo com o advogado assistente de acusação, Tadeu do Nascimento Alves, na audiência a justiça negou a liberdade ao acusado.

O Promotor de Justiça Luciano Sales Lopes comenta o posicionamento do MP. “O Ministério Público, como órgão que preza pelo cumprimento da lei, com base nos autos, denunciou o acusado pelos crimes de embriaguez ao volante e lesão corporal e pediu a prisão preventiva pelo descumprimento das medidas impostas pelo juiz”.

O promotor chama atenção para a ilegalidade da prática da direção estando alcoolizado.

 “Dirigir embriagado é crime e o Ministério Público vai combater essa prática de todas as formas. Temos outro caso recente em Corrente, em que o motorista embriagado matou um jovem. Ele ficou vários meses foragido, pois o Ministério Público entrou com o pedido de prisão preventiva, que foi decretada pela justiça. Ele conseguiu revogar a preventiva no tribunal (em outra instância), mas aqui em Corrente ninguém vai conseguir esse tipo de concessão, pois esse é um crime com um dos maiores índices de acidente e nós não podemos permitir essa prática”, enfatizou.

Gildete, esposa do acidentado, afirma que espera que a justiça seja feita. “Graças a Deus o Ministério Público está do nosso lado e esperamos que a justiça seja feita. Os jovens de Corrente precisam tomar consciência quanto à direção associada com o álcool, porque esse acidente deixou uma família dilacerada. Eu mudei toda a minha vida, perdi o meu companheiro de batalha, do dia a dia, e meus filhos hoje convivem com essa situação, com o pai nesse estado estado vegetativo, por causa da irresponsabilidade de uma pessoa que passou a noite inteira bebendo e resolveu dirigir. E já fizemos seis empréstimos para bancar com as despesas médicas. É muito difícil.”


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp