01/01/2019 às 18h37min - Atualizada em 01/01/2019 às 18h37min

Em discurso, governador diz que Lula é grande líder e buscará Bolsonaro

Cidade Verde

O governador Wellington Dias (PT) chegou à Assembleia Legislativa do Piauí por volta das 15h50 para tomar posse do seu 4º mandato. Ele estava acompanhado da vice-governadora Regina Sousa e de várias outras autoridades e familiares. Os senadores eleitos Marcelo Castro (MDB) e Ciro Nogueira (PP) acompanharam a primeira etapa da cerimônia de posse, comandada pelo presidente da Alepi, deputado estadual Themístocles Filho. 

Os arredores da Alepi foram isolados e tiveram reforço na segurança. Só houve um acesso ao local. O governador foi recebido por Themístocles Filho e não falou com a imprensa ao chegar na Assembleia. Após a solenidade de posse está prevista uma entrevista coletiva.

O governador - que estava acompanhado da esposa Rejane Dias e dos filhos Yasmin, Jairo e Vinicius, além da neta Júlia, foi conduzido ao plenário pelos deputados estaduais Georgiano Neto e Flora Izabel. Estiveram presentes na Alepi o desembargador Joaquim Santana - representando o Judiciário, e o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Abelardo Vilanova e o comandante da Polícia Militar, Coronel Lindomar Castilho. A ex-vice-governadora Margarete Coelho também prestigia a solenidade.

A sessão foi aberta com o juramento do governador e da vice Regina Sousa. Em seguida, o presidente da Casa, Themístocles Filho, deu posse aos dois.

Lula, gestão enxuta e Bolsonaro marcam discurso

No seu discurso de 18 minutos lido em um tablet, Wellington Dias lembrou o ex-presidente Lula e disse que não deixaram que ele acompanhasse sua caminhada nas eleições 2018. "O primeiro sentimento é de gratidão ao tomar posse no 4º mandato. É um privilégio ter sido eleito para esta nova missão. Gratidão à minha família e em especial a Deus por permitir chegar a este posto mais uma vez. Gratidão aos líderes de cada município, estaduais, federais, partidários, sociais - do setor público e privado. Gratidão em nome de um líder que não pode estar conosco nas caminhadas e não deixaram. Pelo que este líder fez pelo Piauí. Este líder é Luiz Inácio Lula da Silva", afirmou.

Wellington Dias prometeu chegar em 2022 com o IDH alto do Piauí e lembrou dos desafios enfrentados nos primeiros mandatos e disse que muito há o que se fazer. "Tínhamos problemas de abastecimento, estradas esburacadas, educação limitada e com baixos indicadores, os desafios que foram vencidos em cada lugar estão na minha memória. Vamos completar o que está faltando. Lembro da ausência do ensino médio em várias lugares. Eu mesmo tive que me deslocar 500km para estudar. Fizemos chegar em todos os municípios, agora queremos chegar o ensino superior.  A internet com 4mb chegando no interior", declarou.

O governador falou que é otimista e destacou as parcerias público-privadas; o potencial energético e fez promessas, como obras de mobilidade urbana. "Aqui temos que avançar muito ainda. Seguiremos com a expansão do ensino superior e pós-graduação e queremos chegar ainda em 2019 a todos os municípios. Redução do analfabetismo, criminalidade, obras de mobilidade urbana. Mesmo em período em que muitos estados caíram atrasando salários, o Piauí ficou de pé. Equilíbrio financeiro é o maior desafio", destacou.

Wellington Dias lembrou do desequilíbrio da previdência e disse que fará uma gestão enxuta e adequada à realidade financeira do Estado. 

"O objetivo é garantir capacidade de investimento. Vamos fazer uma política de gestão de pessoal com menos custo e mais eficiência e medidas para buscar o equilíbrio da previdência. Alinhamento com o orçamento que esta Casa aprova e o financeiro, além do controle dos gastos com custeio. Devemos apresentar nos próximos dias mais do que uma reforma, mas a missão do nosso programa de governo. O governador assume aqui um contrato com o povo para os 4 anos e cada gestor com a sua área", afirmou.

No final do discurso, Wellington Dias assegurou que vai procurar o presidente Jair Bolsonaro para garantir investimentos ao Estado.

"Vamos trabalhar com mais avanços no marco regulatório, regulação fundiária, gestão fiscal para atrair mais investimentos.  Queremos aumentar a renda, tudo isso para colocar o Piauí em 2022 com IDH alto. Vamos buscar integração com o Governo Bolsonaro. Buscarei o Congresso Nacional, buscarei o presidente. Vamos tomar medidas que podem não agradar, mas serão necessárias", finalizou.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp