05/10/2013 às 13h18min - Atualizada em 05/10/2013 às 13h18min

Duplicação da BR 135, no perímetro de Corrente, passa por problemas

Empresa responsável já realiza análises.

Portal Corrente

A duplicação da BR 135, no perímetro urbano de Corrente, passa por dificuldades para ser concluída. A obra, que  está sendo executada com recursos do PAC 2, do governo federal,  faz parte do projeto de reconstrução e revitalização da rodovia, que nesta etapa contempla desde o município de Eliseu Martins até o município de Cristalândia, na divisa com o estado da Bahia.

A obra, que está sendo realizada pela Construtora Sucesso, vencedora da licitação, passa por problemas, uma vez que a segunda camada da pavimentação visivelmente não  estabiliza sobre a primeira. O processo utilizado é o Areia Asfáltico a quente, onde a areia é misturada diretamente ao asfalto.

Em diversos locais podem ser vistas rachaduras e desníveis, e quando veículos mais pesados transitam pelo asfalto as marcas dos pneus ficam gravadas. Relatos de motoristas afirmam que o problema está ocorrendo em alguns trechos até a cidade de Bom Jesus.  Por diversos locais a segunda camada já foi retirada e refeita diversas vezes, sem que haja um resultado satisfatório.

Túlio Marcelo Bezerra, engenheiro responsável pela obra, avalia que a principal causa pode estar na variação da composição da matéria prima, neste caso específico, a areia utilizada. “Por causa da característica peculiar da composição mineral desta areia utilizada, pode estar havendo uma alteração. Ao realizarmos os estudos e testes preliminares, estava tudo certo, e apesar de estarmos seguindo o projeto do DNIT à risca, temos observado que se mudamos a fonte da matéria-prima  20 metros para o lado a composição da areia já é diferente. Na prática o que está ocorrendo é que a segunda camada da pavimentação não está aderindo sobre a primeira”, contou o engenheiro.

Túlio ainda relata que o maior problema estaria ocorrendo no município de Corrente. Amostras foram colhidas durante a semana por todo o trecho para que novos testes sejam realizados, e após os resultados o DNIT irá determinar as medidas a serem adotadas.

 “Acabamos de realizar a pavimentação da PI 141,  entre os municípios de Itaueira e Floriano, no qual exatamente o mesmo processo foi utilizado, e não obtivemos nenhum tipo de problema. Aliás, nenhum trabalho realizado pela empresa passou por este processo. Estamos diante de um desafio e nossa meta é de que em no máximo dez dias o problema esteja resolvido. A Sucesso tem um alto padrão de qualidade e todos os nossos esforços estão voltados neste sentido”, afirmou o engenheiro.

De acordo com o contrato de licitação, a obra somente será entregue quando estiver concluída, em perfeito estado, assim como o pagamento efetuado posteriormente à entrega da obra.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp