31/10/2019 às 14h29min - Atualizada em 31/10/2019 às 14h29min

Memorial contará a vida e a obra do Padre Lira no sertão do Piauí

Religioso ficou conhecido pelas ações pioneiras no enfrentamento à seca. Espaço será organizado na sede da Fundação Ruralista em Dom Inocêncio.

G1
Espaço dentro da Fundação Ruralista reunirá objetos e a história do religioso (Foto: Gustavo Almeida/G1)

A vida e a obra de um dos maiores benfeitores do sertão piauiense será reunida ao longo de 2016 em um memorial na Fundação Ruralista, localizada em Dom Inocêncio, a 615 km de Teresina. O espaço contará a história do padre Manuel Lira Parente e da própria Fundação, entidade filantrópica criada por ele no fim da década de 1950. O sacerdote morreu em setembro do ano passado aos 96 anos, após dedicar toda uma vida no amparo ao povo sertanejo.

De acordo com Inocêncio Leal Parente, filho reconhecido pelo padre, o memorial reunirá documentos, objetos pessoais e toda a história de Lira e da entidade, organizados especialmente para as pessoas visitarem. A Fundação Ruralista fica localizada a 10 km da zona urbana de Dom Inocêncio, município fundado pelo próprio Padre Lira e do qual também foi prefeito por três mandatos.

"Já limpamos tudo e estamos reformando a casa grande. Depois, por etapas, vamos fazer a reforma em todos os pavilhões da Fundação, mas o principal, por enquanto, será o memorial com a história e os objetos pessoais, contando a trajetória dele e da entidade para as pessoas poderem visitar", falou Inocêncio.

De acordo com ele, a entidade viveu uma fase de ostracismo nos últimos anos devido ao agravamento dos problemas de saúde do padre, mas aos poucos algumas atividades deverão ser retomadas daqui pra frente.

"A Fundação Ruralista não está abandonada. Apenas com a doença dele nesses últimos anos a prioridade foi cuidarmos dele. Agora como ele partiu a prioridade será a Fundação", completou.


Sacerdote morreu aos 96 anos em 2015

 

Legado social
Padre Lira ficou conhecido no Brasil e até fora do país pelas ações pioneiras na educação, no enfrentamento e convivência com a seca no sertão piauiense. Após ser prefeito de São Raimundo Nonato entre 1955 e 1958, o sacerdote decidiu criar a Fundação Ruralista na região mais isolada do Piauí e mudou a realidade dos sertanejos com serviços totalmente gratuitos. A entidade sobreviveu com doações nacionais e de outros países.

Através da Fundação, Lira implantou escolas na caatinga, abriu estradas, foi o pioneiro na construção de cisternas com captação de água da chuva, instituiu ensino de bordado para mulheres, fez a primeira maternidade rural do Piauí, promoveu campanhas de vacinação, adquiriu soro antiofídico e construiu aguadas em toda a região. O objetivo era oferecer educação e condições dignas que fizessem o sertanejo ficar na terra natal.


Ações desenvolvidas na educação ganharam destaque

O modelo educacional na rede de escolas capitaneada pelo padre tinha a grade curricular adaptada à realidade social, econômica e climática da região e chegou a ter material didático elaborado exclusivamente para a entidade.

No fim dos anos 1980, publicações nacionais destacaram Dom Inocêncio como município que conseguiu erradicar o analfabetismo nas faixas etárias pós implantação da Fundação Ruralista.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), comentou sobre a importância da organização do memorial para reunir a história do religioso e destacou o legado deixado pelo Padre Lira. Segundo ele, o sacerdote mostrou que é possível conviver e ter qualidade de vida no semiárido, ressaltando a atenção especial que ele sempre deu à educação. 

"Tive o privilégio de dialogar e aprender com o Padre Lira. Aprender sobre a importância da educação como alicerce para o desenvolvimento, especialmente de regiões de grande atraso como o semiárido. Também aprendi que a pobreza não é responsabilidade de Deus e sim das decisões dos homens. Veja o legado de Dom Inocêncio, com um dos maiores rebanhos de caprinos do Piauí, animal que convive bem com o semiárido, de fácil manejo e comercialização", disse o governador.

Para o ex-governador e ex-ministro da educação Hugo Napoleão, o espaço organizado com a história do Padre Lira faz jus a grandiosidade das ações desenvolvidas pelo sacerdote no sertão piauiense. Segundo Hugo, o padre é uma referência para os homens públicos do Piauí pelo destemor e pelo trabalho que desenvolveu.

"O Padre Lira era referência para toda uma classe política piauiense pelo seu trabalho, testemunho, destemor, dedicação à causa pública e no combate à seca, que lhe valeu livro até em língua inglesa. Penso eu que essa justificada obra deve ter também um cunho de santuário, em respeito a Deus e em louvor a luta que o Padre Lira empreendeu", falou Napoleão.

O memorial vai ser organizado em um dos pavilhões já existentes na Fundação Ruralista.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp