12/09/2014 às 13h33min - Atualizada em 12/09/2014 às 13h33min

Ciro Nogueira e Iracema são agora investigados por formação de quadrilha e tráfico de influência

O ministro Luiz Fux, deferiu integralmente, em decisão monocrática de 05 de setembro, as diligências requeridas pelo procurador-geral da República

GP1

A Petição 5020 que tramita no Supremo Tribunal Federal e que investiga o senador Ciro Nogueira Lima acusado de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, tráfico de influência e outros crimes tipificados no código penal brasileiro foi reautuada ontem (10) como Inquérito com o número 3910 por decisão do ministro relator Luiz Fux , atendendo solicitação da procuradoria-geral da República. Figuram agora como investigados no inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal o senador Ciro Nogueira, a esposa Iracema Portella (PP-PI), deputada federal e candidata a reeleição e o deputado federal pelo Maranhão, Sétimo Waquim (PMDB) acusados de destinar parte da verba indenizatória a empresa Trevo Locadora de Veículos pertencente a Júlio Ferraz Arcoverde.

Cópia integral da Petição 5020 será enviada ao Ministério Público Federal no Estado do Piauí, por determinação do ministro, para prosseguir nas investigações em relação aos demais envolvidos: Julio Ferraz Arcoverde (candidato a deputado estadual), Daniela Roberta Duarte da Cunha e e todos os que não possuem prerrogativa de foro. A tramitação vai ocorrer perante a Justiça Federal do Piauí.

O ministro Luiz Fux, deferiu integralmente, em decisão monocrática de 05 de setembro, as diligências requeridas pelo procurador-geral da República. De acordo com o ministro “os elementos colhidos até o momento deixam dúvida quanto ao efetivo uso dos serviços de locação de veículos contratados com a empresa Trevo Locadora de Veículos Ltda”.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp