02/06/2015 às 14h09min - Atualizada em 02/06/2015 às 14h09min

Comissão vai discutir com o Governo situação da Uespi

O deputado Evaldo Gomes (PTC), que requereu a audiência pública e é presidente da Comissão de Educação da Assembleia

Alepi

A formação de uma comissão para dialogar com o Governo do Estado sobre o aumento dos professores e a visita dos deputados que integram a Comissão de Saúde, Educação e Cultural aos campi de Teresina e do interior, foram as principais decisões tomadas hoje (1) na audiência pública realizada no plenarinho da Assembleia Legislativa. A comissão vai tratar do reparcelamento do reajuste salarial de 10% da categoria, a realização de concurso público e as dificuldades causadas pela falta de recursos na instituição.

 

O deputado Evaldo Gomes (PTC), que requereu a audiência pública e é presidente da Comissão de Educação da Assembleia, disse que o objetivo da reunião era resolver o impasse do reajuste salarial dos professores. “Minha posição é de estar ao lado dos servidores e professores da Uespi”, declarou ele, assinalando que a autonomia financeira é importante para que as ações da universidade sejam planejadas e atendam as suas demandas.

 

No início da audiência, o secretário da Administração, Franzé Silva, disse que o dialogo está aberto com os professores e técnicos da Uespi e que a preocupação do Governo é não ultrapassar o limite de gastos com pessoal previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal, além de impedir que ocorra um atraso no pagamento do funcionalismo.

 

O reitor da Uespi, Nouga Cardoso, afirmou que existe a previsão de que sejam investidos R$ 19 milhões este ano em melhoria na infraestrutrura dos campi da instituição e que espera autorização do Governo para a realização de concurso visando a contratação de novos professores. Ele defendeu melhorias salariais para os professores e técnicos, afirmando que cinco servidores deixam a Uespi por mês porque encontram melhores empregos.

 

O presidente do Sindicato dos Docentes, Daniel Solon, e a representante do Sindicato dos Técnicos da Uespi, Leda Simone Carneiro, defenderam reajustes salariais para as duas categorias. Daniel Solon afirmou que, ao parcelar o reajuste, o Governo está deixando de cumprir lei aprovada pela Assembleia Legislativa.Leda Simone afirmou que “nós, técnicos, queremos que o Governo antecipe para junho a parcela de aumento do nosso salário que está previsto para dezembro”. Daniel Solon afirmou que amanhã (2) haverá assembleia geral quando os professores poderão decidir pela deflagração de uma greve geral se as suas reivindicações não forem atendidas.

 

O deputado Aluísio Martins (PT) disse que é professor do Curso de Direito da Uespi e que conhece as dificuldades enfrentadas pela instituição. “Ocorre, porém, que o Governo quer cumprir a lei, mas, infelizmente, nem sempre é possível se fazer isso. Agora, o melhor caminho é o diálogo”.

 

Professores e alunos também falaram durante a audiência pública reivindicando melhorias das condições de funcionamento dos campus. A audiência pública contou ainda com a participação do deputado Cícero Magalhães (PT), da vice-reitora da Uespi, Bárbara Melo, e do pró-reitor de Planejamento daquela instituição, professor Benedito Ribeiro da Graça Neto.

 

J. Barros- Edição:Katya D'Angelles 

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp