24/05/2019 às 03h10min - Atualizada em 24/05/2019 às 03h10min

Projeto Memória e Território resgata tradições populares do município de São Gonçalo do Gurgueia

Viviane Setragni
Ascom
A empresa Zanettini Arqueologia, em parceria com a Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Gurguéia, promoveu nesta quarta-feita (22) a culminância do Projeto Território e Memória, uma iniciativa que teve por objetivo estimular o resgate de valores e tradições da cultura popular do município. Segundo a advogada, Fabiana Miranda do Nascimento, o projeto faz parte do Programa de Educação Patrimonial para o Parque Solar São Gonçalo. 

Na parte da manhã, um grupo de mulheres idosas, em sua maioria sertanejas, participaram de uma exposição no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), onde foram expostos varios utensílios de trabalho e peças antigas como: ferro de passar à brasa, a roda de fiar, panelas de ferro, máquinas antigas de costura, o banco de pote, gamelas de barro e cuias que dividiram a cena com as próprias protagonistas, mulheres que trabalharam uma vida no campo e que tiveram a oportunidade de relatar aos alunos e a comunidade como era elaborada e muito mais lenta a vida há cerca de 40, 50, 60 anos e até mais.
 

Dona Lili, por exemplo, contou com riqueza de detalhes todos os passos para confeccionar a rede exposta, totalmente confeccionada por ela, desde o plantio do algodão, o fiar, o tingimento com pigmentos extraídos da própria natureza, o tecer do tecido e a costura da peça. Ela também lembrou que na sua casa cada um dos seus filhos tiveram como enxoval duas redes, o que era tradição na época. 
 

 
Já a dona Inacia levou uma máquina de costura muito antiga e uma peça de tapeti, utensílio feito de palha que auxilia no processo de confecção da tapioca. Ela contou como era todo o processamento da mandioca, desde o plantio, a colheita, a dificuldade para ralar o tubérculo, colocar no tapeti e a finalização do processo. "Era tudo manual, eu machucava a mão toda, mas era assim que tinha que ser", disse a idosa. 

Na parte da tarde aconteceram as apresentações culturais no Ginásio Poliesportivo, com a apresentação de Santos Reis pelos idosos e o resgate da Roda de São Gonçalo, apresentada por alunos da rede municipal em concurso. Segundo a advogada Fabiana, o concurso da dança que envolveu alunos da Unidade Escolar São Gonçalo e da Escola Municipal Edilon Branco de Souza teve como objetivo estimular os alunos a resgatarem essa cultura, não se limitando a uma disputa,  mas permitindo-os compreender a importância da Roda para a comunidade.

 
Estiveram presentes no Ginásio Poliesportivo grande quantidade de pessoas da comunidade, que vibraram com as apresentações. O prefeito Paulo Lustosa destacou que o resgate da Roda de São Gonçalo tem sido uma preocupação em sua gestão, “Participar de um momento como esse, onde se procura resgatar a memória da nossa gente é muito importante para a comunidade. A Roda de São Gonçalo faz parte da cultura do nosso povo e a data de hoje marca o resgate dessa tradição!”, colocou. O prefeito agradeceu ainda o empenho da empresa Zanettini Arqueologia pelo apoio.
 

A representante da empresa, Ariane Couto Costa, agradeceu à comunidade de São Gonçalo do Gurgueia pela sua participação no projeto. “Essa é uma provocação para que vocês percebam a riqueza que vocês têm nas mãos, que é de vocês e é única!".
 

Ariane ressaltou ainda que a iniciativa faz parte do programa educativo promovido pela empresa Enel, no contexto do licenciamento do Parque Solar São Gonçalo, e inclui o lançamento de um livro que será lançado nos próximos meses.
 

Na oportunidade foram apresentados os alunos que fazem parte do Projeto Mirim Cidadão,  uma iniciativa da Secretaria de Segurança Pública em parceria com a Prefeitura coordenados pela professora Valmira Miranda Fé do Nascimento assim como os atletas da Capoeira do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).




Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp