05/03/2020 às 09h46min - Atualizada em 05/03/2020 às 09h46min

População de São Gonçalo do Gurgueia interdita canteiro de obras da Usina Solar São Gonçalo

Viviane Setragni
Portal Corrente


A população do município de São Gonçalo do Gurgueia realiza, na manhã desta quinta-feira (5), uma manifestação na entrada do canteiro de obras da Usina Solar São Gonçalo. Munidos de faixas e cartazes, homens e mulheres interditaram a entrada dos funcionários das diversas empresas prestadores de serviço que chegavam para o seu dia de trabalho. O protesto tem como objetivo chamar a atenção das autoridades para os danos ambientais que o município vem sofrendo por conta do empreendimento da multinacional Enel, assim como a omissão das autoridades competentes em relação ao problema, que já ocorre desde março do ano passado.
 
Apesar das denúncias feitas pelo prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente ao Ministério Público e à SEMAR em abril de 2019, nenhum órgão esteve no local vistoriando os trabalhos realizados. O rompimento das barragens que deveriam conter as águas das chuvas, que ocorrem em grande quantidade no período invernoso, como é de conhecimento geral, já foi registrado no ano passado, aconteceu novamente no dia 4 de fevereiro deste ano e voltou a acontecer no último sábado, 29 de fevereiro, desta vez com volume muito grande de água e sedimentos, causando destruição de brejos, nascentes, propriedades rurais, estradas e pontes da zona rural, localizados do entorno do parque solar.
 
Durante a semana, a cidade recebeu  visita de diversos órgãos fiscalizadores, motivados sem dúvida pelas últimas circunstâncias.
A cada notícia publicada, a Enel manifesta-se informando que dará todo apoio necessário à comunidade, que está providenciando a manutenção das áreas danificadas e que fará novos estudos para direcionar o futuro andamento da obra.

Durante esta semana, deputados levaram o assunto à tribuna da Assembleia Legislativa, e uma audiência pública foi aprovada para debater o problema no município.

 
Durante toda a manhã de hoje, as centenas de funcionários que foram impedidos de entrar na obra permaneceram no perímetro urbano dos municípios de Corrente e São Gonçalo.

O protesto, que acontece de forma pacífica, é de iniciativa da própria comunidade atingida. Os primeiros manifestantes chegaram às  às 4h da madrugada e permanecem nos portões do canteiro de obras, com faixas de protesto e cantando o hino do município. Não há previsão para o término da manifestação.









Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp