07/03/2017 às 07h36min - Atualizada em 07/03/2017 às 07h36min

Moradores denunciam abandono da sede da antiga Regional de Saúde de Corrente

Substâncias tóxicas e água parada preocupam os moradores da região

Portal Corrente
Viviane Setragni

O imóvel onde funcionava a antiga sede da Regional de Saúde de Corrente encontra-se abandonado e causa riscos aos moradores circunvizinhos. Substâncias tóxicas e a água das chuvas que se acumula no local têm causado grande preocupação à população, que convive diariamente com o cheiro insuportável e o medo da água parada, que propicia a proliferação de mosquitos, dentre eles o Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika,  chikungunya e febre amarela.


Vereadora Valéria Lemos fez a denúncia na Sessão Ordinária da Câmara

 

A denúncia foi feita na Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira (6) pela vereadora Valéria Lemos, que trouxe ao conhecimento de todos a situação preocupante. "O cheiro de alguma substância em todo o local é insuportável e a comunidade imagina que se trata do veneno que era borrifado para matar mosquitos, que ficou abandonado no local. Além disso tem a questão da água acumulada, pois parece que não há escoamento no terreno. O mato tomou conta e todo o imóvel está abandonado".

A vereadora lamentou a situação e sugeriu que o imóvel fosse utilizado para o funcionamento de uma Unidade de Saúde para atender a população da região. "A estrutura do prédio é grande e poderia estar sendo utilizada para uma unidade de saúde, ao invés de estar abandonado", colocou.

Moradores da região confirmam a denúncia e relatam que já chegaram a enviar para uma rede de televisão de Teresina as fotos e as reclamações. "Nós vimos que no domingo andou um carro por ali, mas não sabemos se levaram o produto embora. O cheiro continua forte e nós estamos com muito medo, não aguentamos mais essa situação", desabafou uma moradora das proximidades, mãe de dois filhos pequenos.


Ao lado do imóvel abandonado funciona a Unidade Escolar Joaquim Antonio Lustosa

 

Ao lado do terreno funciona a Unidade Escolar Joaquim Antônio Lustosa, o que aumenta ainda mais o perigo que o imóvel representa. A água parada no terreno, além de propiciar a reprodução de insetos também já danificou parte do calçamento da rua, que acabou de ser concluído no final de 2016.

O fechamento da Regional de Saúde foi amplamente discutido pela comunidade em 2016 e até mesmo o ex-prefeito Jesualdo Cavalcanti fez pessoalmente a solicitação ao Secretário de Estado da Saúde, Francisco Costa, destacando a significativa perda para a comunidade que o ato representaria, tendo somente em Bom Jesus a unidade mais próxima. Apesar dos apelos a regional foi fechada e hoje o imóvel representa um perigo para a sociedade.


Calçamento ao lado do terreno começa a danificar por causa da água acumulada

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »