09/04/2017 às 21h19min - Atualizada em 09/04/2017 às 21h19min

Mobilização da sociedade civil dá início ao movimento S.O.S Paraim

Comissão coordenará os trabalhos de diagnóstico e elaboração dos projetos de revitalização dos rios de Corrente

Portal Corrente

A situação das nascentes dos rios Paraim e Corrente foram debatidas na noite de quinta-feira (6) durante uma reunião realizada na Universidade Estadual do Piauí (UESPI). O encontro, sugerido durante a Audiência Publica do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Gurgueia, marca o início dos trabalhos que viabilizarão o diagnóstico e posterior elaboração do projeto de revitalização da bacia hidrográfica do município de Corrente, iniciando pelo Rio Paraim e poteriormente o Rio Corrente. Ambos são afluentes do Rio Gurgueia e o desafio de realizar o diagnóstico da Bacia Hidrográfica do rio Gurgueia foi proposto pela SEMAR aos 33 municípios que compõe a bacia, durante a Audiência Pública realizada no dia 22 de março, em Corrente.

Participaram da reunião a Coordenadora do curso de Biologia da UESPI, professora Francieli Vieira, que coordenou os trabalhos, o vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Gurgueia (CBHG), Ederson Hermes de Brito, a promotora de Justiça Gilvânia Alves Viana, o vereador Joabe Santana, membro CBHG, o ambientalista Jesy Júnior, a professora Dra. Bruna Iwata, coordenadora do curso de Gestão Ambiental do IFPI, a bióloga Suele Nogueira, membro CBHG, a jornalista Viviane Setragni e três acadêmicos do curso de Biologia.

Após debates, depoimentos e sugestões os presentes confirmaram a necessidade de criação de uma comissão para organizar os projetos, que incluirão a participação de voluntários de diversas instituições, como IFPI, UESPI, Ministério Público, prefeitura e sociedade civil. O nome escolhido para o movimento foi “SOS Paraim”, em alusão ao Rio Paraim.

Na ocasião também foi formada a Comissão Administrativa, que coordenará as diversas etapas de diagnóstico e elaboração do projeto de revitalização, sendo a professora Francieli Vieira eleita a presidente.

“Vamos dar um passo de cada vez, conforme as nossas possibilidades, mas sempre adiante. Esperamos que outros setores da sociedade, que hoje não estão representados aqui, também colabore com os trabalhos”, comentou a professora Francieli Vieira.

Já a promotora de Justiça, Dra. Gilvânia Alves Viana, confirmou que o Ministério Público dará todo o apoio possível ao movimento. “Além de viabilizar o diagnóstico precisamos pensar na elaboração de um projeto educativo, como já temos no MP, o Ecokids, que também poderá ser implantado em Corrente. Esperamos que o município apoie o projeto e contamos com a colaboração de todos”.

As primeiras ações consistirão em visitas técnicas às áreas das nascentes, a partir das quais serão norteados os trabalhos de campo, além da elaboração de um estudo histórico sobre as condições dos rios no município.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »