20/07/2020 às 18h24min - Atualizada em 20/07/2020 às 18h24min

Morador de Corrente denuncia lançamento de esgoto no Riacho da Taboquinha

Agespisa afirma que quedas constantes de energia poderiam danificar os equipamentos da estação elevatória

Portal Corrente
Um morador das ruas próximas à antiga maternidade de Corrente fez uma denúncia nesta segunda-feira (20/07) contra a AGESPISA por causa do esgoto lançado no Riacho da Taboquinha, córrego localizado próximo à estação elevatória da empresa. De acordo com o servidor público Júlio César, todos os dias estaria acontecendo o lançamento de esgoto no riacho, causando mal cheiro em toda a comunidade localizada próxima ao local, uma zona residencial com dezenas de moradores.

Num vídeo gravado pelo professor, ele declara que os moradores da região não aguentam mais o mal cheiro que invade as residências diariamente. "Mais do que um crime ambiental, é um crime a saúde pública! Essa água escura é o esgoto, é a m** que é lançada todos os dias aqui! Os moradores estão doentes, esse mal cheiro provoca dor de cabeça, ânsia de vômito! A Agespisa já foi comunicada do problema e nada foi feito!", desabafa Júlio César.

Ele informa ainda que a prefeitura, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, também tem ciência do problema, mas que nenhuma medida prática foi tomada. "Eu como cidadão exijo uma solução imediata, a Agespisa precisa resolver,  a Secretaria de Meio Ambiente precisa tomar alguma providência! Não dá pra se conviver com isso!", completa.

Parte do esgoto da cidade de Corrente é coletado pela Agespisa e, por meio de três estações elevatórias, ele é direcionado para a estação de tratamento localizada aos fundos do Instituto Batista Correntino. A última estação elevatória, localizada próximo ao Riacho da Taboquinha, é a que estaria apresentando problemas, causando o extravasamento do esgoto no riacho que circunda a área residencial próxima à antiga maternidade.

Consultado pelo Portal Corrente, o coordenador operacional da Agespisa de Corrente, Claudeci Fernandes dos Santos, afirmou que a empresa tem conhecimento do problema no local, entretanto ele declarou que as quedas constantes de energia são a causa para o mal funcionamento do equipamento na estação elevatória.

"O problema da queda de energia melhorou muito aqui em Corrente, mas ela ainda existe, diariamente, só que é muito rápida e as pessoas mal percebem. Mas essa queda de energia é muito prejudicial para os equipamentos da estação elevatória, e para preservar a sua integridade, tivemos que tomar a decisão de desligar o acionamento automático da bomba e fazê-lo manualmente, temos uma pessoa exclusivamente para fazer isso. Este problema de hoje, por exemplo, neste momento nós já temos um funcionário lá na estação para verificar se houve algum problema. Nós temos conhecimento do problema, mas estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para evitar maiores transtornos à população", pontuou Claudeci.

Já  o professor insiste que o problema, que já existe há muitos anos, tenha uma solução definitiva, pois os diversos órgãos de fiscalização e controle já foram informados. "Não queremos mais um paliativo, nós queremos uma solução definitiva, a longo prazo. Precisamos que Agespisa, prefeitura, Secretaria de Meio Ambiente e Ministério Público assumam essa responsabilidade. Esse não é um problema que afeta apenas a nossa comunidade, ele afeta a população da cidade inteira, pois esse esgoto vai para o Riacho da Taboquinha, depois para o Rio Corrente, então esse é um problema de todos!", ressalta Júlio César.



 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp