05/02/2017 às 14h20min - Atualizada em 05/02/2017 às 14h20min

Formações rochosas de Santa Filomena são semelhantes as de Sete Cidades

Blog do José Bonifácio

Fotos: José Bonifácio

Seria um enorme exagero de nossa parte afirmar que as formações rochosas da exótica Pedra do Amor, a 5 km da cidade de Santa Filomena, a sudoeste do Piauí, na ladeira do Brejo das Éguas, ao lado da rodovia PI-254, são iguais às do Parque Nacional Sete Cidades, no município de Piracuruca, localizado no norte piauiense, distante 215 km de Teresina.

Mas, convenhamos, existem algumas semelhanças, mesmo se tratando de uma área bastante reduzida, infinitamente menor do que Sete Cidades, que preserva um dos maiores sítios arqueológicos do Brasil, com seus monumentos geológicos e algumas nascentes.

Imagem: José Bonifácio/GP1
1(Imagem:José Bonifácio/GP1)

2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
O rochedo PEDRA DO AMOR, a 5 quilômetros de Santa Filomena, pode ter se formado há cerca de 190 milhões de anos


Pela aparência existente na Pedra do Amor, que se tornou ponto de visitação, principalmente nos finais de tarde, é possível imaginar que aquelas formações rochosas tenham se formado há 190 milhões de anos, quando as rochas, a maioria constituída de arenito, foram passando por um processo de sedimentação, tendo o vento e a chuva como os principais escultores.


A famosa Pedra do Amor é um conjunto de formações rochosas, com fendas ligeiramente hexagonais, que nos faz lembrar a Pedra da Tartaruga, no Parque Nacional Sete Cidades.

 

Imagem: José Bonifácio/GP1
1(Imagem:José Bonifácio/GP1)
 
2(Imagem:1)
2(Imagem:1)
O geossítio PEDRA DO AMOR, com área aproximada de 5 mil metros quadrados, precisa ser pesquisado e preservado


O geossítio Pedra do Amor é constituído por um afloramento rochoso sobre o qual atuaram - e ainda atuam - os processos geológicos exógenos (intemperismo químico, físico e biológico) que atribuíram ao bloco o aspecto semelhante ao casco (carapaça) de tartarugas ou jabutis.
 
Mesmo sem um estudo aprofundado, as feições poliglonares do rochedo estão diretamente relacionadas com as gretas de contração, com a erosão pluvial e com a concentração de liquens sobre as rochas, ressaltando-se, ainda, a relação entre o teor de argila nos arenitos.

Apesar de ainda desconhecido e ser um local inóspito, à primeira vista, a área de aproximadamente 3 mil metros quadrados, apelidada de Pedra do Amor, precisa ser preservada, porquanto poderá ser de grande relevância ecológica - e de beleza cênica -, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação, interpretação ambiental, turismo ecológico e recreação em contato com a natureza.


Imagem: José Bonifácio/GP1
1(Imagem:José Bonifácio/GP1)
2(Imagem:1)
Tal qual  no Parque das Sete Cidades de Pedra, o tempo e o vento esculpiram também o rochedo de Santa Filomena (PI)


Vale à pena conhecer o processo erosivo Pedra do Amor, que ocorre há milhões de anos.

Você poderá inclusive usar a imaginação livre, "batizando" as pedras até agora inonimadas.

É um lugar meio misterioso, que pode povoar a criatividade de quem o visita. Entretanto, necessita de estudo e de informações, a fim de que se possa compreender aquele atrativo. 

Link
Tags »
Santa Filomena Geosítio
Notícias Relacionadas »
Comentários »