15/07/2014 às 23h28min - Atualizada em 15/07/2014 às 23h28min

Promotor Rômulo Cordão visita hospital de Corrente

Diretora presta diversos esclarecimentos

Portal Corrente

O promotor da comarca de Corrente, Rômulo Cordão, esteve no Hospital João Pacheco Cavalcanti na manhã deste segunda-feira, 14 de julho, onde foi recebido pela diretora do hospital, Samara Sá. O objetivo da visita foi realizar um cheklist na instituição, para análise e comparação desde o último registro realizado. “Precisamos fazer um comparativo desde o último checklist realizado para constatar se houve melhorias, além de fazer um levantamento das principais necessidades, para apresentar na audiência pública que será realizada na cidade de Bom Jesus”, ressaltou.

O promotor foi bastante enfático nos questionamentos a diversas questões do hospital, fazendo um levantamento completo, desde assuntos como funcionamento de equipamentos, disponibilidade de leitos até a situação do quadro de funcionários. Os principais pontos discutidos foram o funcionamento dos geradores, sendo que a diretora esclareceu que o do centro cirúrgico está funcionando, mas o outro há certo tempo não funciona pois está com defeito e até hoje aguarda que a sua manutenção seja feita.

Sobre o ponto eletrônico a diretora afirma que o hospital acabou de adquirir o equipamento, por conta própria, que já estaria sendo instalado. Questionada sobre o lixo hospitalar, Samara Sá declarou que aguarda a vinda de uma empresa especializada, que já ganhou a licitação, mas que até o momento não foi efetuado nenhum contato e nem possui uma previsão.

Quanto ao pagamento dos servidores foi esclarecido que alguns atrasos têm ocorrido, em média de 15 dias, mas acredita que o estado muito em breve irá sanar este problema, ocasionado em parte pela troca de secretariado, como enfatizou o próprio secretário estadual de saúde, Mirócles Veras, em sua visita ao hospital no dia 19 de junho.

O promotor perguntou ainda sobre as ambulâncias, se o hospital estaria bem provido do equipamento, e a diretora esclareceu que o hospital possui uma única ambulância, já ultrapassada, que o hospital necessita com urgência de mais um veículo.

Por fim, o Rômulo Cordão questionou sobre a ocupação de leitos e o quadro de funcionários. A diretora Samara Sá afirmou: “temos recebido um número acima da média de pacientes de outras cidades. Só neste final de semana, foram 29 procedimentos cirúrgicos e 120 atendimentos de urgência. Os hospitais e unidades de atendimento da maioria das cidades vizinhas não está funcionando aos finais de semana, ocasionando até mesmo a superlotação de leitos, como já aconteceu. A pactuação está correta, devemos receber pacientes de outras cidades, mas não como está ocorrendo, onde até mesmo pequenas suturações e procedimentos simples estão sendo enviados para nós, e o pior, sem consulta prévia”, colocou.

Quanto ao quadro de funcionários, a diretora foi bastante enfática: “Nosso quadro de funcionários efetivos é muito baixo, obrigando-nos a contratar prestadores de serviço, que possui um custo elevado. Quanto ao quadro de médicos, ele á absolutamente insuficiente, temos apenas 7 médicos efetivos, mas apenas um cirurgião, sem falar na falta de especialistas. Aguardamos ansiosamente pela realização de concurso público, o que sanaria em grande parte os nossos problemas”, destacou.

A equipe do Ministério Público esteve pessoalmente em diversos setores do hospital. Com os dados e informações recolhidas, o promotor irá elaborar um relatório que será apresentado na audiência pública sobre a área da saúde, que será realizada no município de Bom Jesus.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp