31/03/2019 às 11h16min - Atualizada em 31/03/2019 às 11h16min

Registro de José Honório Granja e o lendário Abílio Wolney

A migração dos Cavalcantes para Goiás. Por Janio Rocha Modesto.

Portal Corrente

Gentilmente recebi essa foto de um neto de José Honório Granja, meu colaborador, Sr. Djalma Granja, residente em Avelino Lopes/PI.

Da esquerda para a direita, na fileira inferior, temos o lendário Abílio Wolney e imediatamente ao seu lado o lendário Zé Honório Granja.

Para quem não conhece, Abílio Wolney era filho de Joaquim Aires Cavalcante Wolney, descendente de Manoel Lourenço Cavalcante e Isabel de Moura Cavalcante, chegados em Corrente em 1825, provenientes de Olinda-PE, segundo relatos na obra do Cel. Pimenta.

Relatos históricos dão conta que Abílio Wolney, após intensas batalhas com Miguel Cavalcante, bisavô de Agamenon Bastos, que foi secretário de João Barros, deixa Corrente e fixa-se em Formosa do Rio Preto-BA.

Miguel Cavalcante, segue sentido oposto e fixa-se em Uruçuí-PI, dando origem aos Cavalcantes de lá.

Abílio, após deixar Formosa, fixa-se em São José do Duro-GO, hoje Dianópolis-TO, de onde, da sua Fazenda Buracão, comandando uma milícia, enfrenta a resistência do Estado, sendo, mais tarde derrotado pelas forças legalistas.

Obs.: Esse grupo era destinado a prender Luis Carlos Prestes.

Contribuições:

Ageu Cavalcante: "Meu avô materno, Agenor, foi assasinado no Duro (Dianopolis) por ordem do tio, Abilio Wolney., e minha avó, Inácia Pacheco, estava grávida de Agenor (Sinho)."

Geraldo Magela Barros Aguiar:
"Agenor foi assassinado pelo próprio Joaquim Aires Cavalcante Wolney, pai de Abílio Wolney."


 

Link
Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp